10 de fev de 2014

Tons da Galera: Foi dada a largada!

E eis que New York, sempre ela, inaugura as semanas de moda pelo mundo. Os desfiles de outono/inverno 2014 (nosso inverno 2015) ainda não se encerraram, mas o burburinho já está rolando desde quinta-feira passada. Nas ruas, o frio arrasador não impediu fashionistas de usar saias (com botas acima dos joelhos), tops cropped (que agora exibem também umbigos!), além de peles (em pleno 2014? Reallly???) e tricôs.

Nas passarelas, o que se viu foi bem mais low-profile: saias midi na BCBG Max Azria, casacões estruturados em cores pasteis, assimetrias e geometrias de Nicholas K, e tons de marrom, preto, cinza, bordeaux, branco, verde e lilás, sem grandes ousadias, num estilo clean e arrojado, com texturas como xadrez, listras e couro. O revival dos anos 1990 continua com veludo preto, mais chique e menos grunge, obrigada, e nos velhos arcos de cabeça com dentinhos, quem lembra deles?

Texteuras e preto em Jill Stuart, arcos de dentinhos em Helmut Lang, textura em Marisa Webb, ex-J. Crew

Na mesma linha discreta e no-nonsense, Rachel Zoe cancelou seu desfile para passar mais tempo com o recém-nascido Kaius Jagger, e até Victoria Beckham trocou seus onipresentes e vertiginosos saltos por flats! E não foi só no vestuário que as coisas parecem ter ficado mais sérias.

Cansados de gastar pelo menos 200 mil dólares num desfile para o destaque ir para blogueiras e subcelebridades desesperadas pela fama do lado de fora das tendas, além dos aproveitadores de plantão em busca de festas para beber e comer de graça, os estilistas inovaram. Para despistar as mesmas fashionistas que saem por aí com barriga de fora num frio de menos 13 graus em busca de seus minutos de fama em blogs de streetstyle (que ninguém nem tem mais paciência de ler), eles abandonaram o Lincoln Center. Gente como Alexander Wang, DVF, Donna Karan e Cynthia Rowley adiantou, atrasou e deslocou seus shows para norte ou sul da cidade, e até para o Brooklyn!

O grande Oscar de la Renta, cansado dos megashows “cheios de 20 milhões de pessoas com conexão zero com a moda”, disse tudo. O circo acabou. Ou quase.
Como não podia deixar de ser, teve protesto, sim senhor, e dessa vez um homem de fio dental e coroa na cabeça invadiu a passarela do desfile de Prabal Gurung (elogiadíssimo, aliás, pelo uso de laranjas e vermelhos), ninguém sabe ainda por quê. E ninguém também ligou muito, porque isso afinal, é Nova York.

Bafão no desfile de Prabal Gurung

Próximas paradas: Londres, Paris, Milão, São Paulo e Rio.

Nenhum comentário: