30 de set de 2013

Tons da Galera:Uma louca jornada de NY a Paris

Conforme prometido no último post, aí vai um resumo (não tão sério como prometido porque, né? Como conseguir ser sério quando se vê sapatos-esfregão na passarela?) da avalanche de desfiles mundo afora no mês mais importante do mundinho fashion. O roteiro foi: NY – Londres – Milão – Paris.
As promessas são para o próximo verão (para o hemisfério norte, para a gente é só o que começa em dezembro do ano que vem, ou seja, muito tempo pra absorver tudo e aderir – ou não).
Todas as cidades mostraram muito preto e branco em lisos ou estampas abstratas (nada de calças e ternos listrados à la Bettlejuice, por favor!) ou simples florais, também em p&b. Some a isso silhuetas esportivas-chic e clean anos 1990, barrigas de fora em tops cropped (bustiês no caso da extravagante Milão), holográficos e furta-cor (sereias estão com tudo, e vou falar mais disso num post futuro), os já esperados pastéis, e muito, mas muito rosa. Reza a lenda que quem não tiver um casaco rosa nos próximos meses está perdido
P&B, 3D, Rosa e branco.
Quanto a pequenos destaques de cada cidade, Nova York esbanjou lisos em cores chave: azul-bic, amarelo, branco e rosa lavanda. Londres, dona de uma moda sempre jovem e irreverente, apostou em barras desfiadas (especialmente nos jeans), pregas e vestidos mullets dramáticos, com caudas de noiva ou de sereia (olha elas de novo).  E finalmente Milão abusou de florais em 3D bordados em tecidos (Sienna Miller usou numa saia e top cropped para o Oscar desse ano e foi supercriticada, vejam só. Melhor confiar em Sienna da próxima vez).
Mas numa temporada de desfiles que tem a alucinada editora da Vogue Japão Anna Dello Russo como a figurinha mais carimbada, o destaque mesmo só podia ter sido o que se viu em Paris. Além da variedade enoooorme de tendências e maluquices apresentadas, os babados não se resumiram aos vestidos rendados e românticos vistos em vários de seus desfiles. Jean Paul Gaultier realizou um desfile-musical mucho loco chamado Let’s Dance with the stars, Nina Ricci foi a mais recente vítima do tradicional protesto em desfile, dessa vez pelas feministas do Femen, que entraram de topless na passarela, Rick Owens apresentou um desfile performance , e testemunhamos o nascimento dos sapatos esfregão da Rochas. Sim, porque teve gente que levou a sério os sapatos de pelo da Celine, ano passado.
 Paris é sempre uma festa: protestos, performances, festinha, e o sapato-esfregão.


Nenhum comentário: