9 de dez de 2013

Tons da Galera: You’ve Cat To Be Kitten Me Right Meow

 Esse ano foi para alguns o ano de Miley Cyrus. A atriz e cantora, como sabemos até bem demais, pareceu decidida a se expor e chocar em 2013. Mas quando Miley se apresentou no American Music Awards no ultimo dia 25, o que mais chamou atenção, além de sua roupa estampada de gatinho (comportada para seus padrões), foi o gato futurista que interagia com sua música no telão de fundo. Ninguém entendeu muito bem o sentido da coisa, mas a constatação foi que sorry, Miley, sabemos que você tentou, mas esse ano foi mesmo é dos gatos. Aliás, continuou sendo.


Felinos têm roubado a cena há algum tempo graças à internet e seus memes, fazendo com que gatos famosos como Grumpy Cat, torne-se recordista de vendas para presentes de Natal. Aconteceu com a Urban Outfitters, que antes da linha de Grumpy – que aliás é uma fêmea e muito boazinha segundo seu dono - já vendia livros com títulos como “I Could Pee on This” (um livro de poemas “escrito” por gatos), e “Guys Can Be Cat Ladies Too”, além de intermináveis produtos com bigodes e quatro patas como tema.


A cat-mania saiu da esfera YouTube e a moda se rendeu. Você já parou para pensar em quantas febres de consumo recentes foram inspiradas nos felinos? Não estamos falando das óbvias, como delineador de gatinho, óculos estilo anos 1950, nem estampas de onça. Estamos falando de arquinhos de metal com orelhas pontilhadas por pérolas tornando-se acessório de uso do dia a dia em países como EUA e Japão. Loafers de Charlotte Olympia virando objeto de desejo imediato entre todas as idades. A em alta Céline tendo sua famosa t-shirt plagiada e felinizada com um simples trocar de letra inicial e nem reclamar, e de Karl Lagerfeld lançando uma linha de acessórios inspirada em sua Choupette.


É fato, pessoal: Gatos trouxeram o fofo de volta com uma boa dose de humor e de fizeram até o mundinho fashion não se levar tão a sério. Eles estão dominando o mundo. E eu, escrevendo aqui com uma representante da espécie em cima dos meus pés (que já estão com câimbra, mas quem sou eu para ousar incomodá-la?), confesso que adorei.


Nenhum comentário: