22 de fev de 2013

Sonho É uma escolha, por @vivimaurey

A Frini, na coluna LINDA da semana retrasada, tocou num ponto que, pessoalmente, mexe muito comigo. Eu concordo. Largar tudo pra viver um sonho não significa deixar se ser responsável ou deixar de pagar as contas. Tudo depende da sua realidade, do sonho em si, do que significa pra você realmente "largar tudo". Às vezes, pra viver um sonho nem é preciso praticar o radicalismo, digamos assim.

Quando larguei o trabalho fixo para escrever um livro, ainda contava com um dinheiro dos freelas de revisão. Quando a coisa apertava, sabia que precisava dividir meu tempo. Meu sonho é prioridade, minha vida também, mas isso não quer dizer que eu tenha que passar por cima de tudo e todos para conseguir realizá-lo. 

Muito pelo contrário. Eu moro com minha mãe e dependo dela para muitas coisas. Em parte por não ter dinheiro o suficiente para me sustentar sozinha, parte por não querer deixá-la sozinha. Isso é uma decisão e faz parte de mim. Assim como escrever livros e publicá-los. Não é apenas um sonho. É um objetivo de vida. Seja com 20, 30, 50 ou 70 anos. 



Realizar um sonho faz parte de tudo da mesma forma que juntamos dinheiro para viajar, para estudar ou casar e ter filhos. É um trabalho, um esforço, como colocou a Frini, que temos que diariamente alimentar. Um sonho não se realiza sozinho assim como a vida não cresce sem os cuidados apropriados.

Eu sei o que é fazer sacrifícios e correr atrás do que eu amo fazer, muita gente sabe, embora muitas vezes o problema não esteja relacionado ao que se deve fazer, mas com as pessoas ao redor. A gente ouve o amigo, a família e os próximos, porque gostamos e confiamos neles e nas opiniões que eles oferecem. Mas nem sempre eles sabem o que é melhor para você. E podem acabar te fazendo duvidar do que é possível. 

Às vezes, uma frase apenas ou uma palavra, até mesmo uma reação podem fazer você mudar de ideia ou desistir de um sonho. O que mais importa nesse momento não é o esforço de concretizá-lo, mas de se conhecer bem e saber o que quer a ponto de não desistir, independentemente das circunstâncias.

Sábios já diziam: prioridades e escolhas são os únicos grandes obstáculos. O resto é paisagem.

Ps. Leiam a coluna da Frini! Ela que abordou o assunto. Isso aqui é uma mera observação, risos.


3 comentários:

Raffafust disse...

Oi Vivi :)

Verdade, sempre penso na frase "viver e não ter a vergonha de ser feliz"

beijos e saudades de vc!!

Ana disse...

Vivi, acho que as colunas se complementaram...
Nossos sonhos são nossos e ponto, não adianta ningém dizer que não podemos ou devemos fazer isso ou aquilo, só nós mesmo sabemos o quanto aquilo poder ser importante ou não para nossa realização!
Eu, com mais de 30 anos estou conseguindo realizar parte de um futuro que havia planejado, e pelo que estou percebendo, vou conseguir fazer o que sempre quiz. Talves tenha sido até melhor acontecer agora, pois estou com a cabeça mais centrada, mas... o lance é não desistir NUNCA!!!!
Beijos!!

Frini Georgakopoulos disse...

Vivi, obrigada pela menção. Fico feliz que tenha gostado da coluna, que ela tenha a feito parar para pensar :)

"O que mais importa nesse momento não é o esforço de concretizá-lo, mas de se conhecer bem e saber o que quer a ponto de não desistir, independentemente das circunstâncias."

Me identifiquei muito com o que você escreveu acima. Sei o que gosto de fazer, o que faço bem, mas o caminho a ser trilhado ainda é uma dúvida pra mim. Mas acho que já identificar isso já é um bom sinal, né?

Nossa, estamos filosofando tanto nas colunas! HAHAHAH!

Amei a coluna! Parabén!
beijos
Frini