1 de fev de 2013

PAPOS DE SEXTA - Opinião: Você tem a sua e eu tenho a minha, por Garota It (Pâmela Gonçalves)


Cada um tem a sua opinião sobre todas as coisas. Cada um pode pensar o que quiser de qualquer coisa. Mas isso não justifica usar a “Liberdade de expressão” para ofender qualquer pessoa. Já ouviram falar em “A sua liberdade vai até onde a minha começa”?

Não podemos evitar as discordâncias de pensamentos. É inútil acreditar que todos gostarão de nós, do que gostamos e de quem gostamos. Sempre terá alguém que vai discordar. A grande sacada para a convivência é saber respeitar. 

Você tem o direito de dizer o que acredita ser a verdade universal. Tem o direito de tentar convencer alguém do contrário e, quem sabe, mudar o pensamento de qualquer pessoa. Mas não tem nenhum direito de atacar essa pessoa por pura e simplesmente falta de argumentos para confrontar sua opinião. Ou seja, você pode falar o que quiser sobre o que você acha ser certo. Mas sua liberdade de expressão acaba no mesmo momento que você ofende diretamente a pessoa que discorda de você.

Sendo fã de livros, autores, filmes, time etc., sempre tive de lidar com pessoas que não concordavam comigo. Aliás, estando exposta na internet com um blog e, principalmente, com um canal no youtube, é muito fácil ter alguém que discorde de mim sobre qualquer coisa. Por acaso, eu tenho a sorte de precisar lidar com poucos casos de desrespeito direto. E quando acontece é por QUALQUER coisa, acredite.

Seja porque eu gosto de livros Jovem-Adulto, porque eu não gostei daquele livro que virou modinha,  porque eu raramente gosto de livros históricos, porque eu não gosto de Senhor dos Anéis, porque eu sou garota (é), porque eu não tenho inteligência suficiente para entender a profundidade daquela história. Simplesmente porque eu não me encaixo em qualquer coisa que as pessoas entendem por verdade absoluta.

Se você discordar de mim e de qualquer outra pessoa, primeiro, respeite a opinião contrária. Se você quiser que a pessoa pelo menos tenha uma visão diferente e, quem sabe, concorde com você, tente apresentar os argumentos, tente convencê-la que a sua opinião é mais válida que a dela.

Isso vale para qualquer coisa.

9 comentários:

Aline T.K.M. disse...

Muito verdadeiro o que você disse, e acho que é bem válido para muita gente entender o significado da palavra "respeito", já que muitas vezes, pensam que esta outra palavra, "liberdade", acaba anulando a primeira (engano terrível).
Além disso, a melhor parte de ter um blog, de ter contato com pessoas diferentes, é justamente essa troca de opiniões, de achar gente que não pensa como você e conhecer a opinião e os argumentos alheios. Pena de quem não entende isso e que busca achar na internet só o que está estritamente de acordo com os próprios pensamentos/opiniões.

Bjs
Livro Lab

L!V!@ disse...

Muito bom o texto Pâm! Com certeza, todos temos nossas opiniões, outros meios de pensar, mas nem sempre todos respeitam isso. Adorei!
Bjsss ;*

Camilla Ribeiro disse...

Adorei o texto, Pâm, e concordo totalmente com você. É triste ver que algumas pessoas 'compram briga' por coisas atoas, apenas pelo fato de outra pessoa não concordar com o que elas pensam. Como você disse, todos nós temos direito a opiniões diferentes, afinal se todo mundo pensasse igualzinho o mundo não teria evoluído nada com o tempo.

Anônimo disse...

O título do teu texto poderia ser "RESPEITO". Concordo com tuas justificativas e teus posicionamentos. Quando comecei a acompanhar alguns blogs de literatura, achei muito estranho a quantidade deles voltados para jovens. Em umprimeiro momento, fiquei muito contente porque significa que tem muita gente nova LENDO!!!!

Contudo, passei a notar que boa parte dessas pessoas estão com seus 20 e pouquinhos anos, mas com leituras destinadas a pessoas mais jovens ainda: 12, 13, 16, 17 anos. Meu primeiro impacto foi questionar: por que SOMENTE esse tipo de leitura? Jamais julguei quem quiser que fosse por ler tais livros mesmo sendo destinado a mais jovens. Eu mesma sou grande fã de Harry Potter e também tenho meus 20 e poucos anos. Minha pulga atrás da orelha estava focada no "somente".

Fato, a grande leva de blogs feita por jovens na feixa etária dos 20 trata SOMENTE de "YA". Enfim, aqui vai o meu lado da moeda: juro que tentei ao máximo não criticar no sentido de desmerecer essas pessoas, mas senti a falta de uma análise um pouco mais densa dos temas abordados.

Dito isso, tentei mostrar que procurei RESPEITAR a todos, mas não há como não querer discutir um possível crescimento/ expansão/ abrir a mente/ olhar para o horizonte...de uma literatura um pouco mais...adulta.
Porém, acho ridículo (aham, ridículo beitando a estupidez) aqueles que comentam que a pessoa só lê tal gênero porque não é capaz ou porque tem QI limitado. Assim como não concordo com quem pensa: "Ao menos ela lê". Um não justifica o outro.

Eu não gosto da crítica pela cr[itica porque acredito que ela não leva a nada mesmo. Mas gosto muito de discussões! Significa que as pessoas estão tentando, mesmo que muitas vezes não consigam se expressar da melhor maneira possível, mostrar o seu ponto de vista de determinada situação para no fim chegar a algum ponto convergente com os demais participantes!

O problema é que um número grande de leitores lê a palavra "discussão" e já pensa em briga! NÃO!! Bem longe disso.

Enfim, tentei mostrar que já critiquei sim blogueiros leitores assíduos de YA e fui má interpretada. Não fiz a crítica pela crítica, na realidade, estava tentando entender o porquê da fixação. A resposta que obtive foi: "Porque só gosto disso". Justo, a pessoa está no seu direito.

Vou te dar um outro exemplo,acompanho a blogueira Giu Fernandes. A guria tem uns 20 anos e lê MUITA, mas muita coisa voltada a "jovens adultos". Todavia, uma vez questionada sobre o porquê da sua fixação ela disse: "Porque é o gênero que mais gosto". Meses depois essa guria estava falando sobre um livro da escritora que ela mais gosta e acabou fazendo leves, porém muito sábias, comparações com acontecimentos históricos e com outras obras de conteúdo mais "denso" talvez demonstrando, assim, uma grande evolução na exposição dela. NOTA: ainda seguindo com os livros YA!

Em qualquer profissão sempre estaremos rodeados de críticos que mal sabem do que estão falando! Essa é uma grande verdade. Mas também esperamos um pouco do profissional, é normal. Foi feita uma pergunta a ti certa vez sobre o livro "Leviatã" do scott westerfeld, aparentemente teu escritor favorito. Questionaram se tinha alguma correlação com o de Thomas Hobbes e disseste que não sabias porque nunca sequer tinha ouvido falar de tal obra. Ouvi e li comentários absurdos sobre ti no twitter depois disso. Mais uma vez, a crítica pela crítica nada resolve e ninguém tem obrigação de saber tudo, mas se espera que uma pessoa que trabalhe com isso saiba o básico. Essa é uma obra inclusive vista nas aulas de história no colégio...

Enfim, acho que na maioria das vezes a opinão é má interpretada. Não podemos agir com falta de respeito.

Um bom trabalho!

Alessandra Vilhagra disse...

Adorei....

Val disse...

Concordo com você Pâm. Vale também a ideia de tentar se colocar no lugar do outro para entender porque ele pensa de outro modo. Bjs Val

Cíntia G. disse...

Olá Pâm, concordo com você, hoje as pessoas têm tanta necessidade de serem aprovadas, por consequencia, tem reações aversivas e agressivas contra opções contrárias. O fato é que retornamos a nosso ser mais primitivo, precisa-se ser agressivo para marcar seu território, seja este o território das opiniões. Como você disse, opiniões são pontos de vistas diferentes sobre um mesmo fenômeno.
Bjos
Cíntia G.

Anônimo disse...

Pâm, vi você comentando sobre esse texto no twitter e só passei para comentar que acho legal você ter a mente aberta para outros tipos de leituras e sei que você é adulta e sabe do que vou te dizer, mas não faça nada forçado e que você não queira! Eu gosto do seu blog porque você comenta sobre o que gosta, o gênero e livros que gosta! Acho chato as pessoas quererem forçar outras a ler algo porque elas acham que deve ser assim. Continue lendo e falando sobre o que você quer e gosta! Entendo que tenha gente que acompanha seu blog e não gosta só de um estilo ou gostaria de ler resenhas de outro tipo de livro, mas se não gostam por falar quase sempre só desse estilo, o melhor seria ler outros blogs se não está agradando, acho. Beijos!

Frini Georgakopoulos disse...

Opinião e respeito ... todos deveriam ter. Concordo com tudo que você falou, Pam!

Já fui desrespeitada por minhas opiniões e quando me defendo, sou acusada de agredir. Lindo, né? E a galera que joga pedra e "assina" como "Anônimo". Coragem também tem que entrar na lista de "must have" para todo ser humano!

Ótima coluna!

beijos!
Frini