8 de fev de 2013

Papos de Sexta – Basta – por Frini Georgakopoulos


“Aceitamos o amor que achamos que merecemos”.

OK, mas só o amor? E o respeito? E as oportunidades?

Autoestima ou a falta dela é um dos temas recorrentes em escrita jovem-adulta porque é algo que enfrentamos muito nessa época. Mas só nessa época? Quando se está trabalhando feito uma louca e o respeito profissional com você desaparece; quando gostaria de fazer A, mas acha que não tem capacidade porque dizem que é difícil e o que sempre foi feito é B. Por que não tentar? Por que achar que não merece? Eles não te fizeram, então não têm o poder de te quebrar.


Quando está na hora de fazer acontecer e quando está na hora de dizer “basta”?

Meg Cabot fechou bem a série “A Mediadora”, mas anunciou que escreverá um sétimo livro e que será bem longo. A série foi bem encerrada, mas sempre quis ler mais sobre Suzannah e Jesse. Mas e se ela estragar? Fico feliz, apreensiva, ambos ou nenhum?

J. K. Rowling conquistou o mundo com Harry Potter e agora enfrenta a crítica dos fãs com um livro completamente diferente. Ela não insistiu, mas se aventurou. Deu certo como esperava?


“Corra atrás de seus sonhos. Viva a vida que imaginou”.
Lindo, mas pago as contas como? E as reponsabilidades?

Vou largar tudo e ser autora, bailarina, acrobata! Ok, mas não acontece da noite para o dia... não como regra e sim como exceção. Não tem lugar para todo mundo. Ok, mas isso vai fazer desanimar e engavetar o talento, a vontade? Não. Os planos mudam de curso, mas o destino é o mesmo. Se existe uma vontade, existe um meio. Ele não vai aparecer sempre em uma bandeja de prata, mas no fundo de uma caverna, sendo guardado por um dragão. Enfrente, vença. Ou desista. Tudo bem. Não importa a não ser que você se importe.

As dificuldades em encontrar a pessoa certa, em se realizar profissionalmente, em conquistar “nosso lugar ao sol” sempre vão existir. A vida é simples, mas nós teimamos em complicar, pois uma coisa chamada Felicidade nos faz brincar de pique-pega com ela. Mas, muitas vezes, ela vem acompanhada da Dúvida e do Medo. E quando essa dupla acha que nos conquistou de vez, a sempre resistente Esperança aparece para dar uma mãozinha.

Essa coluna pode parecer sem pé nem cabeça, principalmente para quem está pronto para cair na folia. Na verdade, ela é um convite: toda vez que alguém o colocar para baixo — mesmo que essa pessoa seja você —, pare e reflita. No fim do dia — independente da idade, da época, da situação —, o único fator que importa é se você foi dormir se sentindo uma pessoa melhor do que quando acordou. O resto é resto. Boa folia!

6 comentários:

rscarone disse...

Tem que estar preparado(a) para se queimar. 'You gotta burn to shine".

Aline T.K.M. disse...

Oi Frini! Gostei demais do seu post e não me pareceu nem um pouco sem pé nem cabeça. Pelo contrário, foi bem direto, com ares de desabafo e muita verdade em cada linha.
Muitas vezes esqueço que sou eu a pessoa que deve ser levada em conta no momento de fazer minhas escolhas, que sou eu que devo me sentir bem com o que faço e não fulaninho. Que não preciso justificar minhas escolhas para ninguém, a não ser eu mesma. Enfim, preciso me lembrar constantemente dessas coisas e de tudo o que você disse no post, nem sempre é fácil, mas vamos levando!

Bjão e bom Carnaval!
Livro Lab

Verônica Sobreira disse...

Olá, Frini gosto muito de suas colocações nesta coluna e essa não é diferente. Os livros sempre nos incita a fazer comparações com a vida né? sobre e escolhas e tudo mais. Da mesma forma que ficamos apreensivos ao fazermos escolhas ,acabamos ficando ansiosos com as eescolhas de nossos autores preferidos, vai entender rsrsr.... mas é assim. Valeu

Raffafust disse...

Frini

Sua coluna me lembrou uma coisa que minha sábia mãe sempre disse, ela sempre falava de pessoas como o falecido Sócrates que era médico dizendo que ele que fez certo, se formou em Medicina mas se o sonho era ser jogador ele foi atrás , mas se não desse certo ele tinha uma outra profissão. Acho que o que ela sempre quis me mostrar era que não temos que desistir dos sonhos assim como vc disse mas precisamos pensar com os pés no chão e continuar estudando...a mãe é chata quando fala isso, mas ela está certa porque se seu sonho não virar verdade você tem outra opção e pelo menos vc tentou.
Achar a pessoa certa - no meu caso- tem sido mais difícil do que achar a profissão certa...hahah eu mesma estudei muito e não trabalho na área, o importante é isso amiga! Não desistir

Amei a coluna...as usual

beijão e espero que seu Carnaval tenha sido maravilhoso

Raffafust disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivi Maurey disse...

Acho que às vezes o "redor" contribui muito para a dúvida e o medo. E se a gente não for forte o suficiente para lidar com isso e saber exatamente quem somos é que a coisa complica ainda mais.
Aprendi bastante nos últimos 3 anos e acho que sem as decisões que me levaram até aqui jamais teria descoberto coisas sobre mim mesma E PRINCIPALMENTE sobre as pessoas. =)

Bjão e amei a coluna!

Vivi