6 de fev de 2013

Galera Pop - Como é difícil ser eu longe das minhas séries (e GIRLS!)


Voltei! Ainda se lembram de mim? Já faz quase dois meses desde minha última coluna, mas eu garanto queminha esculpa é boa: estou em Londres! Desde o comecinho de dezembro estou por aqui fazendo um curso de inglês e outro de fotografia. Por isso a falta de tempo para escrever aqui (ou no meu blog). Não é frescura, EU JURO! Tempo quando você faz intercâmbio, pelo menos desses mais curtinhos, é uma coisa que não EXISTE. Eu estou em todos os lugares o tempo todo e não quero parar nunca. Porque afinal, vai saber quando eu vou ter essa chance de novo, não é mesmo?

O que me leva ao tema de hoje, COMO É COMPLICADO SER EU MESMA LONGE DAS MINHAS SÉRIES PREFERIDAS. Tudo bem, não é como se eu estivesse em outro planeta longe de tudo e de todos os episódios, mas é complicado mesmo me manter atualizada. E não sei como é para vocês, mas as séries são muito mais que um hobby. É uma coisa que eu quero ter comigo pelo o resto da minha vida. Quero escrever e comentar sobre elas para todo mundo que quiser ouvir e tenho certeza que eu nunca vou cansar. Afinal, não tenho essa desculpa de “falta de material”.

Me sinto diferente, um pouco “perdida” quando vejo algum comentário no facebook sobre algum episódio que eu ainda não vi. É como se outra pessoa tivesse tomado conta de mim e a British Nanda não soubesse ainda o que aconteceu no final da temporada de American Horror Story (ela não sabe hahahahaha). Então basicamente estou atrasada em TODAS as minhas séries, menos Girls.
Dia 13 de Janeiro de Fevereiro a segunda temporada do maravilhoso programa da HBO voltou ao ar! E não poderia ter sido em data melhor, no mesmo dia Lena Dunham foi premiada como melhor atriz e Girls como melhor comédia no Globo de Ouro. Tem como ter sido uma estreia melhor?

Fiquei muito orgulhosa. O seriado é um dos mais queridos tanto pela crítica especializada quanto por nós, o maravilhoso *cof cof* público. Quer dizer, não é para qualquer um receber amor por todos os lados. Me deixa surpresa ver que pela primeira vez (desde que eu acompanho tv, pelo menos) um seriado que mostra a realidade foi tão bem aceito. As coisas nem sempre são um mar de rosas, e ver que não estamos sozinhas nessas fases chatas da vida ajuda, e muito. Por isso eu amo Girls. Eu quero me ver na telinha às vezes (sou um mix de Shoshanna e Hannah), ver minhas amigas e perceber que por mais horríveis que as coisas possam parecer de vez em quando, É SÓ UMA FASE!!!!

Quarta, peguei a edição da revista Stylist saindo do metro, e imagina quem estava na capa: LENA DUNHAM!
 SUPERGIRL – Lena Dunham: Aqui para salvar nessa geração

Que esse ano nos traga muitas novidades legais para gente assistir. Na próxima trago alguma série nova ;) Deixa só eu voltar para casa antes e ser eu de novo...

Xoxo,
Nanda
_________________________________________________________________________________


Meu nome é Fernanda, mas podem me chamar de Nanda. Tenho (quase) 22 anos, mas juro que pareço ter 16. Estudo jornalismo porque depois de assistir Smallville, decidi que queria ser a Chloe. Sou apaixonada por cultura pop, e fiquei um bom tempo tentando decidir se gostava mais de ler, ver séries ou filmes. Acabei decidindo que tanto faz. Eu gosto de todos! (Mas acho que ter 32 séries na minha watch list responde essa dúvida).

Um comentário:

Aline T.K.M. disse...

Que lindo, você está em Londres! Entendo exatamente o que você diz, fiz dois intercâmbios e parecia que o tempo era sempre curto. Ao contrário de você, eu não estava acompanhando nenhuma série na época, então não me senti "incompleta" por causa disso, aliás são poucas as séries que eu posso dizer que acompanhei de verdade. O que mais me fez sentir "não ser eu mesma" foi muito mais a questão do cinema. Vários filmes mais alternativos entraram (e saíram) de cartaz em São Paulo, e nas cidades em que morei (ambas na Europa) não tinha tanta sala de cinema alternativo, então as opções eram meio limitadas. Sentia muita falta e queria morrer quando via que não poderia assistir a um filme que estava em cartaz em SP.

Bj
Livro Lab