6 de mai de 2014

Papos de terça (excepcionalmente!): Eu, viciada em livros


Reunião em família é sempre aquela avalanche de perguntas, cujas respostas nunca são simples. Quando vamos conhecer seu namorado? Já decidiu o que vai cursar na faculdade? Não acha que está na hora de vocês casarem? No que você trabalha mesmo? Para quando é o herdeiro?

Aprendi a dar respostas evasivas — tente dizer para sua avó que você não pretende casar na igreja, ou explique o trabalho de um analista de redes sociais para aquela sua tia que nunca acessou a internet —, mas vez ou outra alguém me surpreende com uma questão da qual não posso me esquivar.

Aconteceu no último final de semana, quando minha madrinha quis saber se eu nunca me cansava de ler. Essa dúvida é frequente entre os amigos que não partilham o hábito da leitura, mas pela primeira vez, a pergunta veio de uma leitora assídua e preferi elaborar minha resposta a dizer um categórico não.

Mesmo na escola, quando não tinha maturidade para entender os clássicos da literatura, eu raramente abandonava uma leitura. E quando um livro não me satisfazia, minha reação não era me afastar de todos os outros, mas sim emendar o próximo — quem sabe eu teria mais sorte dessa vez?

Até hoje sou assim, não importa o volume de manuscritos lidos no mês, permanece a motivação de descobrir um novo talento ou um best seller. Ou simplesmente o prazer de me entregar a uma boa história. É lógico que a vista cansa, a postura incomoda às vezes, e a mente pede um intervalo. E já aconteceu de enjoar de um gênero literário, de um tema ou narrativa, mas nunca do ato de ler.

As pessoas assumem — ou pelo menos, minha madrinha — que algumas atividades deixam de ser prazerosas quando tornam-se obrigatórias. Que um hobby deve continuar um hobby ou perderá seu encanto. Pois eu acredito que depende mais de quem executa do que da tarefa em si.

Talvez eu seja mais do que apaixonada por livros, tamanha falta que eles me fazem. Talvez a leitura seja mais do que um hábito, seja um vício que não tenho intenção de abandonar. E se o primeiro passo é admitir, pois bem, esse texto é minha confissão ;)

7 comentários:

Frini Georgakopoulos disse...

AMEI essa coluna! Me identifico demais com o que você escreveu, desde as perguntas mais malas até o vício pela leitura.
Concordo sobre como transformar seu hobby em trabalho. Tudo depende de como você realiza a tarefa, o quanto se envolve. E sobre ler, ler e continuar lendo ... SEMPRE! Entre um livro e outro geralmente dou alguns dias para digerir a história, dar tempo de entender o que se passou, formar opinião. Depois, mais páginas são viradas e continuarão a ser :)
beijão, Tita!

Joow-aguiar disse...

Isso ae, é como voce disse, as vezes enjoamos de um genero literario, um tema ou uma narrativa, mas existem tantos temas diferentes, tantas opçoes e autores diferentes que é impossivel enjoar de fato do ato de ler.
O meu maior problema é a postura, caramba como é dificil arranjar uma postura confortavel para ler nao é? kk

Leitura é tudo.
Abraços ;)

Cristiane Iannacconi disse...

Adorei, Tita! me vi no meio da família num almoço de domingo, respondendo essas perguntas chatas... e a minha mãe no fogão mexendo a panela c uma mão, um livro na outra! Bjão

Fran disse...

Eu amo com todas as forças ler, limpa minha mente e me da motivação para enfrentar a realidade tão cruel...e qto mais eu leio, mais eu qro saber o final da história, acaba o livro e eu me encontra apaixonada e perdida pelos personagens, ai já pego outro livro, porque não da para ficar vivendo a depressão do termino...e vou tirando de cada livro, uma lição de vida, uma experiencia, um conselho...eu também não me canso...e me vejo acordando e dormindo em bibliotecas....

Tita Mirra disse...

Obrigada pelos comentários! É tão bom saber que esse vício é compartilhado por outras pessoas :)

Lívia Martins disse...

E quando a pergunta é "Tá, mas no que você TRABALHA, exatamente? Porque ler não é trabalho, não é?"

Lana Silva disse...

Eu amo ler e minha família sempre me pergunta se eu já terminei de ler aquele livro e digo sim já estou em outro e eles se assustam pois leio os livros muito rápido, eu acho que eles sentem orgulho de mim pois sou a única neta que gosta de livros e ama ler, mal acabei de lê um já estou comprando outro e assim vai.
Bom eu amo quando as pessoas me pergunta sobre livros mesmo que seja um critica, pois livros e meu assunto favorito.
Beijos e amei post...