25 de jul de 2014

Papos de sexta: ABG dos romances


Você leu certo, é ABG: A de Alfa, B de Beta e G de Gama.
Se você é como eu e adora um bom romance — e aqui me refiro às histórias de amor e não às narrativas longas —, já deve ter percebido que os heróis dos livros dividem-se basicamente em três tipos:

Alfa - O dominante.
Exemplo: Homem de Ferro
Os traços mais marcantes desse herói são a liderança e competitividade. Ele assume frequentemente o controle da situação, puxando a responsabilidade para si, e é quem as pessoas procuram em situações problemáticas e nas tomadas de decisões.
O herói Alfa possui força física e costuma ser atraente — por consequência, é narcisista e arrogante. É teimoso e obstinado, às vezes rude ou vil, mas há sempre uma razão para ele ser assim (mesmo que seja apenas porque quer! rs).
Costuma ser possessivo e ciumento com as pessoas que ama, mas também é muito cuidadoso e preocupado, fazendo de tudo para protegê-los. Por vezes, seu comportamento dominante passa do ponto, cruza a linha do romântico ao abusivo, e pode torná-lo em vilão.
Um herói Alfa requer que a heroína tenha vida própria, ou ela vai estar para sempre à sua sombra.

Beta - O gente boa.
Exemplo: Homem-Aranha
É um herói mais brando, mais vulnerável e sensível do que um Alfa. Tende a ser mais intelectual e astuto, contando com inteligência e humor, em vez de força física. Não é necessariamente bonito ou alto, e costuma ter fraquezas e limitações.
O Beta é carinhoso, leal, modesto e despretensioso. Ele pode ser do tipo quieto ou descontraído, trabalha bem em equipe e prefere obedecer a comandar, geralmente auxiliando de maneira diplomática.
É um herói pacífico, embora esteja longe de ser um covarde. E apesar de demonstrar ciúme e possessividade, estes nunca são seus traços dominantes.
O herói Beta é frequentemente a segunda opção das heroínas. O típico “cara legal” ou “melhor amigo”.

Gama - O complexo.
Exemplo: Wolverine
Uma combinação dos traços de ambos. Esse herói apresenta a inteligência e sensibilidade do Beta, mas é impulsionado pela determinação do Alfa, principalmente quando se trata de proteger aqueles que ama.
A preocupação com os outros é seu traço mais marcante. O herói Gama demonstra laços fortes com seus amigos e família — e não apenas com a heroína, o que muitas vezes é mal interpretado como indiferença pela mocinha.
Ele se mantém na retaguarda, não procura a liderança — mesmo que claramente seja o mais indicado para tal função — mas frequentemente discorda do Alfa e não se conforma sob o seu domínio, um comportamento típico de anti-herói.
O Gama é um cara complexo, que passou por dificuldades ou traumas — e a heroína que se apaixonar por ele deve estar preparada para lutar contra seus demônios internos, bem como os inimigos externos. Ele se revela o herói perfeito uma vez que supera os obstáculos, mas muitas mocinhas desistem antes disso.

É isso! Não importa se é contemporâneo ou sobrenatural, young adult ou new adult, os romances costumam apresentar variações dos mesmos arquétipos. Qual deles é o seu favorito?

3 comentários:

Frini Georgakopoulos disse...

Acho impossível escolher porque cada história pede um herói diferente :) O que importa é ele ser cativante e a história, empolgante.

Carol disse...

Difícil mesmo escolher um predileto, mas pensando um pouquinho, tô sempre simpatizando mais com os Alfas! hahaha que previsível, eu!

Camila Leite disse...

Nossa, muito difícil escolher... Cada um tem seus pontos fortes e fracos... Adorei o post e fiquei com peninha do homem- aranha, coitado hahaha Mas ele é "fofo".

No próximo post seria legal ver quais as suas opões de romance para cada estilo. #ficaadica
Beijos