30 de jul de 2014

Galera Pop: Guardiões da Galáxia


Quem não torceu a cara quando a Marvel anunciou que faria Guardiões da Galáxia. Vamos lá, admita aí, você também, todos nós. “Guardiões da Galáxia, quem?”, perguntou quem só conhece herói Marvel famoso. “Guardiões da Galáxia, quem?”, perguntou o leitor mais assíduo, que teve que puxar da memória. Pois sim, o longa-metragem chegou e tornou as expressões de desprezo e descrença em queixos caídos. É o melhor filme da Marvel, como apregoaram aos quatro ventos? Não, Os Vingadores ainda é mais redondo como obra cinematográfica, mas com certeza Guardiões da Galáxia é o mais divertido e feito com mais carinho.

Antes de mais nada, a nota enciclopédica: esses Guardiões da Galáxia são inspirados na formação de 2008 para a saga cósmica Aniquilação, publicada pela Marvel. Quase não têm a ver com a formação original de 1969, a não ser pelo uso do alienígena azulado Yondu (Michael Rooker, de The Walking Dead), aqui como coadjuvante e não um dos guardiões em si. O grupo é formado por Senhor das Estrelas (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Drax (Dave Bautista), Groot (voz de Vin Diesel) e Rocket (voz de Bradley Cooper), heróis improváveis envolvidos na caçada e proteção a um objeto de grande poder, não muito diferente do Cubo Cósmico/Tesseract que moveu a trama de Os Vingadores.

A história é um samba-do-marvete-doido e começa com uma overdose de informações diferente do ritmo mais didático de outros filmes do estúdio — até porque, se fosse muito informativo, levaria meia hora apenas na introdução dos elementos. A trama em si é um corre-corre a respeito de quem passa o adversário (ou mesmo o aliado) para trás, em nome da recompensa por um orbe de grande poder. De olho no objeto cobiçado estão Ronan, o Acusador (Lee Pace), e Thanos (Josh Brolin), no campo dos vilões. No caminho, por motivações variadas, estão os “Guardiões da Galáxia”.

Movido a citações de cultura pop (acredite: até Kevin Bacon entra no caldeirão), tiradas infames e humor de recreio, o roteiro dá espaço para a caracterização típica da Marvel, e é ai que Guardiões da Galáxia ganha uma força impressionante. Os Vingadores beneficiou-se dos filmes anteriores de cada herói: foi só juntar todo mundo e pronto, deu liga (sem ser da justiça). Aqui, cada guardião tem pouco tempo para vender seu peixe, e todo mundo sabe que o feirante ganha a freguesa no grito, no preço e no frescor da mercadoria. Então é de tirar o chapéu que Pratt, Saldana e Cooper tenham feito tanto em tão pouco tempo de tela, porém é mais admirável como Vin Diesel, trabalhando com uma única frase (“eu sou Groot”) impressiona tanto. . . e ainda mais admirável o que o brutamontes Dave Bautista consegue na tela. Ele rouba cenas atuando bem, passando emoção e humor, indo de ator dramático a cômico. É a surpresa em um filme que, por si só, já é surpreendente que tenha sido concebido, quanto mais executado dessa forma extremamente gaiata e divertida.

Em tempo: há cena pós-créditos, mas não foi exibida na sessão de imprensa. Fique de olho.

O trailer e outras informações estão no site oficial: http://www.marvelbrasil.com/guardioes-da-galaxia


Nenhum comentário: