3 de abr de 2014

Galera entre letras: Que tipo de livro você é?


Dia desses, estava olhando uns sites pela Internet e me deparei com essa ilustração no blog Nalia’s World.

Então comecei a pensar no tipo de livro que eu seria... por trabalhar com livros e por incluir na minha formação acadêmica as tais “humanidades” (no meu caso, jornalismo, filosofia e pinceladas de história da arte), considero importante conhecer os diversos “gêneros” da ficção e da não ficção, e até me considero uma boa conhecedora do mercado editorial. E quando os amigos me pedem dicas, eu sou aquela que costuma indicar desde livros mais românticos até uma não ficção mais “dura” e realista (do tipo “mundo cão” mesmo). Ah! E eu só indico livros que já li ou ao menos folheei!

Foi então que comecei a pensar nos livros físicos ou digitais que estão perto de mim (ou que estão no Kindle, que está perto de mim, rs), naqueles que eu leio ou folheio antes de dormir ou que, no caso de livros físicos, eu simplesmente gosto de pegar. Sim, eu adoro o contato do papel com a minha pele e ainda acho que cheiro de livro é o terceiro melhor cheiro do mundo: o primeiro é, óbvio, o de café fresquinho e o segundo — e talvez não seja tão óbvio assim — é o de bolinho de bacalhau que acabaram de fritar!

Aí resolvi olhar na minha mesa de cabeceira, do lado direto da cama. Os livros que estão lá e que são os que eu leio ou folheio com mais frequência são:

- um livro intitulado Fairy Tales. A New History, da Ruth Bottingheimer, que é bem útil pras pesquisas sobre contos de fadas;
- o volume 4, das “Crônicas Saxônicas”, do Bernard Cornwell. Não é fantasia, é ficção histórica, mas tem cenas épicas de batalha, e esta série em particular tem um dos projetos gráficos mais bonitos entre os livros dele;
- um livrinho de Charles Dickens, intitulado On London, com os artigos que ele publicava sobre as caminhadas noturnas em Londres;
- outro livro de não ficção e bem acadêmico, Fantastic Literature. A Critical Reader, organizado por um especialista da área, David Sandner;
- um livro com os romances de um dos meus autores preferidos, Kurt Vonnegut, que tem muito a ver com ficção científica;
- um clássico que acho que nunca foi traduzido, mas que vale muito a pena ler: I Capture the Castle, de Dodie Smith (pra quem não conhece a Dodie, ela é a autora de 101 Dálmatas, e na minha edição, ninguém menos que J. K. Rowling apresenta o livro, dizendo que ele tem uma das melhores narradoras que ela já conheceu).


Bom, eu acho que nem preciso dizer que tipo de livro eu sou, né?!

Gosto muito mesmo dos livros de fantasia e, sim, às vezes, eu me vejo salvando o mundo ou liderando exércitos (e não me importo nem um pouco se as batalhas ocorrerem no futuro). E, talvez, entre uma batalha e outra, ou entre uma viagem e outra (eu adoro perambular por aí!), quem sabe eu abra um intervalo para um romance (vampiros não são o meu tipo, mas elfos com arco, flecha e espadas parecem ótima companhia!).

E o mais engraçado é o fato de os meus melhores amigos também serem leitores de ficção fantástica e gostarem de batalhas épicas. No fundo, acho que as pessoas parecidas acabam se atraindo!

Mas, e quanto a vocês? Que tipo de livro vocês são?!

2 comentários:

Gisele disse...

Eu sou vários tipos de livro, comédia, ficção, não ficção.... muitos aprecio de tudo um pouco.

MaH disse...

Segundo o organograma ali de cima sou 'Ficção Científica'.
O que não deixa de ser verdade, porque apesar de me julgar bem eclética distopias e ficção científica realmente me encantam!!!

http://www.oquedissealice.com.br