4 de abr de 2014

Papos de Sexta: É dia de feira!

O calendário de feiras literárias de 2014 teve início, oficialmente, em janeiro, mas a agitação tomou conta do mercado editorial em março, com a Feira do Livro de Bolonha. Considerada a maior e mais importante feira de negócios do segmento infantojuvenil, ela oferece exposição não apenas para autores e editoras, mas também para ilustradores (nos livros infantis, as imagens ajudam a contar a história e são tão importantes quanto as palavras).

Crédito: Bologna Book Fair

O Brasil foi o convidado de honra desta edição, cinco meses depois de ter sido homenageado na Feira do Livro de Frankfurt, o maior evento literário do planeta! Bacana ver nosso país despertando tanto interesse do mercado internacional, né?

E por falar na Feira de Frankfurt, ela retorna no início de outubro como o principal evento para licenciamento de direitos autorais. Não menos importantes são a Book Expo America (BEA), que acontece no final de maio e oferece a maior seleção de títulos de língua inglesa, e a Feira do Livro de Londres, na semana que vem, que atrai os profissionais da indústria do livro com uma programação intensa e diversificada.

De julho a agosto, a atenção volta-se para o mercado nacional com a realização da FLIP — Festa Literária Internacional de Paraty —, que colocou o Brasil no circuito dos festivais de literatura ao promover o encontro de autores internacionais com personalidades do setor cultural, e da Bienal do Livro de São Paulo, considerado o terceiro maior evento editorial do mundo!

A indústria do livro é de longe a maior indústria criativa, e as feiras são uma importante plataforma de trabalho. Esses são os principais eventos e, como vocês perceberam, mal dá tempo de recobrar o fôlego entre um e outro. O ritmo é puxado não só para os editores, que comparecem para fortalecer suas redes de contatos e negociar a compra e venda de títulos, mas também para os colaboradores que daqui analisam os manuscritos e dão seus pareceres (os leilões de livros são frequentes, assim como as noites em claro ;)

Participar do circuito internacional de feiras literárias — seja como autor, editor ou colaborador — exige disciplina, responsabilidade e sobretudo conhecimento do mercado, mas a oportunidade de identificar as tendências editoriais e de descobrir novos talentos da literatura é ímpar!

Então, vamos à feira?

4 comentários:

Anônimo disse...

Adoro feiras literárias! Só aquele cheirinho de livro novo já é tudo de bom!

Frini Georgakopoulos disse...

Adoraria ir a todas essas, mas estando fora do mercado é meio impossível. Me contento com as nossas edições da Bienal SP e RJ e é isso aê! Adorei o raio x das feiras, Tita! É importante o pessoal saber como são selecionados os livros que chegam nas estantes brasileiras e como os nossos vão parar lá fora :)
beijão
Frini

Livros minha Terapia disse...

Estava nesse fim de semana , justamente pesquisando sobre esse universo louco e vendo as agendas de alguns autores que marcam presença nestas feiras! Realmente é de tirar o fôlego!!! Uma seguida da outra!!! Amei o Papo ajudou muito com alguns detalhes que ainda não tinha visto!! Bjks

Tita Mirra disse...

O ritmo é realmente de tirar o fôlego, tanto para quem vai quanto para quem fica! rs A diferença de fuso horário nos faz trabalhar madrugada adentro, mas é uma delícia participar dessa loucura <3