8 de nov de 2013

Papos de sexta: Quando as regras funcionam!


Alguns livros são tão legais que deveriam vir com uma indicação para presentear aquela amiga ou, por que não?, você mesma. Quando vi As regras do amor, pensei que fosse auto-ajuda, não que não goste de livros do gênero, mas é que poucos são bem escritos, alguns são como conselhos que você conseguiria no salão, fazendo a unha, assim que contasse que terminou um namoro.
Ah sim, os términos de namoro, como doem, como nos fazem achar que é o fim, que nunca ninguém mais vai nos amar e que ficaremos solteironas para todo o sempre!
Comparo-os sempre à morte, a uma demissão... Todos sabemos que estamos correndo o risco de nos depararmos com isso, mas mesmo assim acreditamos firmemente que conosco nunca irá acontecer. Mas então acontece, aquele namorado maravilhoso (bem, não tão maravilhoso assim, afinal, se ele não quer mais nada com você, já não pode ser tão perfeito, certo? Porque a DIVA dessa história é você! E não deixe ninguém fazer você pensar o contrário!) de repente pede para repensar a relação, diz que você é perfeita e que o problema é ele, ou então termina de vez aquilo que você nunca soube mesmo o que era.
A nós resta chorar no colo das amigas que abandonamos  não me venha dizer que nunca largou suas amigas durante o namoro, porque sempre pedimos desculpa a elas, mas sabe como é, o fulano está louco para ver Os Mercenários número 10 e você prometeu ir com ele! Depois sua amiga faz aniversário há anos e o que tem demais perder um? Ano que vem tem outro, certo?
As regras do amor é exatamente eu, você que está lendo e nossas amigas. Ah sim, você é minha amiga? Então certamente vai me reconhecer em várias páginas. Vai ver que temos um pouco de cada uma delas. E vai se deliciar com o código criado por elas para superar um pé na bunda e nunca mais largar a amiga em prol do namorado.  
Divertido e verdadeiro, terminei esse livro querendo mais das quatro amigas, torcendo mais para umas que para outras, mas ainda assim querendo muito mais histórias com elas.
E, se você está triste nesse exato momento e caso seja pelo motivo citado nessa coluna, lembre-se desse livro, porque sei o que está passando e tenho certeza que vai te animar.
Se você acha que nunca mais vai conseguir namorar alguém tão padrão Johnny Depp como seu ex (ele não era a cara dele? Ah sim... só que não, né?), deixo um trecho do livro que gostei muito, aliás uma das regras:
"Duas pessoas completas = relacionamento saudável e feliz. Regra 25: Nunca pense que você não vai conhecer nem amar outro cara como você gostava de seu ex, porque você vai sim! Você só precisa dar uma chance de esquecer o ex."

2 comentários:

Frini Georgakopoulos disse...

AHAHAHAHAH! Adorei a comparação do Depp com o ex. HAHAHAHA! Só que não!
Bom quando a gente se identifica com o que está lendo, né? O legal é que uma amiga minha está passando por isso exatamente agora. Fato que mandei o link da sua coluna para ela. Ela ama ler e de repente ajuda a fila dela a andar também :)
beijos!

Anônimo disse...

Raffa

Super me identifiquei com o que você falou! E ri muito com seu comentário sobre o DEPP! Quem dera ter um namo parecido com ele *-*

hahahah

Beijos

Vanessa Faria