17 de jul de 2013

Pushing Daises



Pushing Daises foi ao ar em 2008 pela ABC e é, até hoje, minha série favorita de todos os tempos!!! Ela durou pouco, só duas temporadas, culpa da greve dos roteiristas que aconteceu aquele ano. Mas eu sinto que se tivesse durado demais acabaria caindo naquela chatice onde muitas séries que eu amei acabaram caindo (Ugly Betty, Smallville, Make it or Break it).


Acontece que duas temporadas de Ned e Chuck foram suficientes para me fazer apaixonar pela série. Pushing daisies foi anunciada como um "conto de fadas moderno", mas eu garanto que é muito mais que isso. Dos figurinos 60’s da Chuck ao estilo “Amélie” — sabe como é, fotografia que enche o coração e um narrador maravilhoso — a série das margaridas (daisy é margarida, em inglês) é para encher nosso coração de amor e nossos olhos com sua beleza. 
Agora, deixando a parte emocionada um pouco de lado. A série conta a história de Ned, um rapaz com um “talento”  bem especial. Desde criança ele consegue trazer pessoas (e coisas) de volta à vida com apenas um toque! Não é demais? Dando a pessoas desventuradas uma segunda chance... mas a coisa não é tão fácil assim. Depois de reviver a pessoa, ele tem 1 minuto para fazê-la  voltar para o descanso eterno de novo ou então alguma outra pessoa que está por perto vai cair — e dessa vez é para sempre. Ah! E depois desses 60 segundos, eles não pode tocar a pessoa de novo, se não ela morre na hora. Não preciso nem dizer que o pobre menino descobriu isso da forma mais triste possível, ele matou, sem querer, o pai da vizinha e sweetheart Chuck (Charlotte Charles). 
E é assim que a história começa a ficar interessante. Depois de anos sem ver o seu amor da infância, Ned acaba reencontrando a Chuck em uma situação inusitada: morta. Bom, não precisa nem dizer que ele decide trazer a moça de volta à vida. Afinal, você não encontra o amor da sua vida todos os dias. 
Tudo bom, tudo legal, os dois juntos e apaixonados! Mas não sei se vocês se lembram, mas depois de ressuscitar alguém, se ele tocar na pessoa de novo ela morre, e para sempre dessa vez! Significa:


Casal lindo e apaixonado junto, mas eles não podem tocar em um fio de cabelo um do outro.

Imagina que situação?? Hahahaha É bem fofo ver os dois tentando se virar para conseguir um simples abraço ou dar as mãos. É por isso que eu gosto tanto de Ned/Chuck, eles são um casal fofo, bonito e que se ama de verdade. Fazem um esforço danado para ficarem juntos, qualquer deslize e ela cai dura, mas nem por isso desistem um do outro.
Ned, o piemaker vai levando a vida tomando conta da sua loja de tortas, do romance com a Chuck e desvendando crimes junto com o detetive Emerson Cod. Ou você acha que ele ia desperdiçar um talento desses?

Pushing Daises é fofa. Acho que essa é a palavra que melhor define esses 22 episódios. A série merece ser assistida, e eu te garanto, você também merece assistir o Ned e a Chuck.    



Xoxo

Nanda

8 comentários:

Bruno Medeiros disse...

Ainda espero a próxima temporada de Pushing Diases. Quando acabou eu fiquei meses esperando, até que criei coragem para jogar no google o nome da série e me dar de conta de que haviam encerrado.


Mas, cara, tudo nela é tão bom. Até a música de entrada, o modo de atuação. É uma mistura de humor, drama e boa interpretação que só podia dar certo.

Saudades ):

Frini Georgakopoulos disse...

Eu AMAVA Pushing Daisies! O primeiro beijo foi a coisa mais linda do mundo! Fiquei arrasada quando acabou :( Ned, Pie Maker forever! Lee Pace é amor! :)

Lila disse...

E não me CONFORMO que o seriado acabou do nada!! PORQUE NÃO TERMINARAM, PELAMOR??

Ana Seciliano disse...

Deixou um vazio gigantesco mesmo!
Foi uma das séries mais fofas que eu já vi...
Merecia um episódio final, pelo menos...

Ana Seciliano disse...

Tudo nessa série era muito lindo!
Merecia um episódio final...

Fernanda Xavier disse...

Bruno, eu esperei por muito tempo. Até chegaram a lançar uma HQ mas eu não quis ler, sei lá acho que não seria o mesmo né?
x
Nanda

Fernanda Xavier disse...

Frini, eles são tão fofos! As coisas que eles inventam para dançar ou pegar na mão... Gente, tem que ter muito amor <3

Fernanda Xavier disse...

Ana, como você, o que eu mais senti falta mesmo foi um episódio final digno. Nem reclamo de ter acabado cedo, porque como eu disse, as vezes é melhor terminar logo do que virar aquela coisa enrolando a gente.

x
Nanda