3 de dez de 2012

TONS DA GALERA - MADONNA E A MODA

Pegando carona na vinda ao Brasil daquela que já foi a maior diva pop do planeta, fiquei lembrando como ela influenciou a moda. Sim, Madonna já foi sinônimo máximo de all things cool. Todo tipo de inovação em comportamento e figurino que Madge lançou nos seus 30 anos de carreira são reeditadas, copiadas ou repetidas até hoje. Quer ver?

No início da carreira, como típica garota dos anos 1980, Madonna abusava do cabelo cheio de laquê e laçarotes, além de acessórios de crucifixo, camisetas e leggings de renda, muitas e muitas pulseiras (sabia que os bureaus de estilo decretaram recentemente que o maxicolar vai dar espaço às maxi — e muitas —- pulseiras?). Não podemos esquecer também das camisas cropped (super na moda hoje) e figurinos de noiva ao cantar Like a Virgin (o scarpin branco, pasmem, também voltou recentemente). 

Passado os dois primeiros álbuns, Madonna radicalizou tosando o cabelo platinado (Miley Cyrus aderiu ao corte esse ano) e apostando em t-shirts com statements ousados como no clipe de Papa Don’t Preach. Todo mundo lembra como essas camisetas já voltaram e foram embora até cansar. No momento, elas estão voltando, apesar de ninguém aguentar mais.

O início dos anos 90 viu Madonna lançando um de seus mais icônicos clipes, Vogue, cuja coreografia inspira artistas até hoje (Bad Romance, alguém?) e onde vestia pela primeira vez o sutiã de cones feito por Jean Paul Gaultier, usado à exaustão na turnê Blonde Ambition, e que inspirou até embalagem de perfume! Nessa mais recente turnê Madonna usa um modelo reinventado do tal sutiã, mais uma vez desenhado pelo amigo Gaultier. Vale lembrar que Dolce & Gabanna e Ricardo Tisci para Givenchy também estão sempre desenhando peças exclusivas para a cantora ou inspiradas por ela, outra prova que a (quase sempre) loira e a moda andam juntas.

Na fase do CD Erotica, Madonna lançou um look sadomasô, com faixas de couro e chicotes, e de repente um belo dia vimos os vestidos bandage de Hervé Leger virando febre, inclusive no Brasil. Alguma relação? Com Bedtime Stories Madonna fez virar modinha o microcristal no nariz, as sobrancelhas finas ou descoloridas (Oi, Lara Stone!), e batons e unhas vinho bem escuro (logo depois o esmalte Vamp da Chanel virou hit). As meninas que cresceram nos anos 90 se lembram bem. 

Migrando na hora certa para a música eletrônica, que em seguida explodiu, a diva adotou cabelos partidos ao meio e ondulados, até hoje imitados todo santo ano na cabeça das angels da Victoria’s Secret. Uma breve fase oriental depois, e Madonna lança o clipe Music, a tempo da febre da moda bling bling, adotada prontamente pelos rappers. O clipe de Don't Tell Me trouxe a loira num clima cowboy chique, que Isabel Marant tornou marca registrada em seus desfiles.

Vale lembrar que as modas lançadas pela cantora não se resumem às roupas. Ioga, cabala, Girl Power (Express Yourself lançou o movimento, e as Spice Girls só pegaram carona)... Madonna faz e o mundo imita. Hoje ela lucra com a força de sua influência no mundo fashion com a linha de roupas Material Girl, que lançou com a filha.

O que vocês acham? Madonna imita a moda (antes da maioria dos meros mortais) ou a moda imita Madonna? A "material girl" ainda é sinônimo de cool?

_________________________________________________________________________________

Alda Lima começou a respirar moda ainda na barriga da mãe, que viajava a trabalho para pesquisar e comprar as últimas tendências. Formada em Cenografia, hoje trabalha com Visual Merchandising e Produção de Moda numa grife carioca. Nas horas vagas traduz para a Record, vê séries e filmes, e e alimenta os vícios no Pinterest e em cheesecake.

Nenhum comentário: