30 de nov de 2012

Papos de Sexta - Especial: Carta de Diana Peterfreund

Olá, Brasil!

Gostaria de começar agradecendo muito a todos vocês por lerem “Zumbis x Unicórnios”, principalmente os leitores do Time Unicórnio. VAMOS LÁ, TIME!

Gostaria também de assinalar o quanto a Justine deixou esse debate injusto. Ela e o Scott estão no Brasil, com todos vocês — e ambos representam o Time Zumbi. Não tem nenhum representante dos unicórnios por aí!

Para piorar as coisas, a Justine é a líder da operação dos comedores de cérebro! Pergunto a vocês: isso é justo? Isso é certo? Mas é assim que os zumbis são. Eles nunca fazem o que dizem que vão fazer. Eles estão mortos, e não estão. Andam devagar... a não ser que estejam correndo, tipo, correndo de repente! Na verdade, zumbis nem podem ser mortos como criaturas normais. “Cortar a cabeça ou destruir seu cérebro???” Que tipo de maluquice é essa? Monstros mentirosos e desleais!

Unicórnios, por outro lado, são nobres e verdadeiros. Em todas as culturas, em todas as histórias, unicórnios são criaturas com as quais você pode contar. Em mitos asiáticos antigos, o unicórnio é uma das quatro nobres bestas, ao lado de dragões, fênix e tartarugas. Na China antiga, um unicórnio tinha um lugar na corte do imperador Han, distribuindo justiça infalível por meio de seu chifre fatal. Na Europa, o unicórnio era a mais selvagem das criaturas e seu chifre um símbolo de pureza que era capaz de neutralizar o efeito de venenos. Em Harry Potter, matar um unicórnio é um ato terrível, embora seu sangue possa manter algo vivo quando nada mais pode. O símbolo da realeza escocesa é um unicórnio, e na arte eles são muitas vezes representados como um símbolo de Jesus Cristo.

Alguém já escolheu um zumbi como símbolo? Não... Nem mesmo Jesus, que realmente levantou dos mortos. É claro que os unicórnios são a melhor escolha.

Porque é assim que os zumbis são: representantes da escravidão nas ilhas caribenhas; da morte e da doença nos filmes e livros contemporâneos. São a destruição do mundo. A devastação e a ruína.

Unicórnios, por outro lado, representam a natureza, a força, o renascimento, a cura. Unicórnios são fortes e majestosos, belos e fortes, enquanto os zumbis são lerdos e vacilantes, corpos podres que podem ou não ser escravos estúpidos. A resposta é uma só: O Time Unicórnio representa o BEM.
Diana Peterfreund, autora de “Sociedade Secreta” e do conto “O cuidado e a alimentação de seu filhote de unicórnio assassino”, em “Zumbis x Unicórnios”.

3 comentários:

bia barros disse...

Ótimos argumentos Diana !!

Pâm Gonçalves disse...

Diana é uma fofa <3
Deveria ser a próxima a vir para o Brasil *_*

Aline T.K.M. disse...

Adorei, ótima defesa!!! Apesar de não ter lido o livro, vou opinar... Unicórnios são mais belos, mais fofos e dá vontade de ter um. Acho que nunca tive vontade de ter um zumbi. =S Por outro lado, zumbis são mais eletrizantes! Difícil decidir...

Bjo!
Aline - Livro Lab