4 de jun de 2012

Tons da Galera - Maçã, fendas e Nasty Gals, por Alda Lima

Já que esse é meu primeiro post aqui no blog da Galera, pego a deixa do André Gordirro e vou falar sobre algo relacionado também a uma importante maçã... mais conhecida como a Grande Maçã. Como não podia deixar de ser, vindo de uma apaixonada profissional por moda que acaba de passar férias em Nova York, aproveitei para conferir quais tendências do verão 2013 se confirmaram. Nós que vivemos no Brasil e não temos um inverno de verdade, podemos aproveitar para ir aderindo a elas logo, ou já ir fazendo um estoque para nos preparar para o fim do ano! O Brasil, aliás, está com tudo em Nova York. A Macy’s da Broadway, maior loja do mundo, está exibindo um enorme outdoor sobre nosso país na entrada, e o interior está todo decorado no mesmo clima: pisos do calçadão de Copacabana, muita cor, uniformes da seleção, e até a sacola de compras faz propaganda nossa por lá. Além disso, ninguém menos que Michael Kors agora vende uma Jelly só sua, com logo numa plaquinha, um mimo irresistível — e acessível — por U$59!

















Nas lojas, onde só toca Call me Maybe da Carly Rae Jepsen (mais uma cola aqui do blog... E não é que a música é fofa e gruda mesmo na cabeça?), só se vê transparências e a (já conhecida de algumas de nós) irregular barra mullet. Blusas, saias e vestidos, todos business in the front, party in the back. De preferência transparentes. A barriga de fora também impera (sempre tapando o umbigo, com cintura alta). O color block continua forte com muito coral, azul klein, e calças coloridas — uma verdadeira febre. Juro que vi de cores que nunca tinha visto!, misturadas à oncinha, mais uma vez em transparências. O verde e o amarelo-limão são onipresentes em bolsas, bijoux, roupas, e eu já falei transparências? Nada de timidez nesse verão, meninas, poucas foram as lojas que investiram nas cores doces de sorvete em que alguns apostavam, reservando só um cantinho para essas peças. A moda mesmo é o estilo das Nasty Gals (site de roupas nascido no Ebay que traduz perfeitamente todo esse estilo garota rock’n’roll e sexy sem se esforçar nem forçar — pense nas fotos que rolaram do festival Coachella). Dos lugares que visitei, o Soho era o reduto das Nasties e antenadas (aposto que foi uma delas a autora da “street-art” abaixo-o-amor que cliquei em pleno bairro, na foto), mais especificamente a Top Shop, mas daqui a pouco eu chego lá.

Nas ruas, como estamos falando de NY, o tom não abaixa, e as pessoas se vestem de maneira ainda mais extravagante e de personalidade, deu vontade de brincar de Sartorialist, mas quem disse que dá tempo? Dos looks mais básicos, muito jeans boyfriend, verde oliva, leggings (as americanas parecem ter desencanado de usar um top comprido por cima — tudo fica a critério do bom-senso, não significando que todas o têm ou o põem em prática rsrs). Pros meninos mais antenados, gravata borboleta e bermudas.


Para aquelas que quiserem mergulhar aos poucos nas tendências, as bijoux são uma opção, nos estilos navajo, com muitos spikes, cruzes, e um gostinho art déco que está por vir com tudo com a estreia de Gatsby (alguém mais aí também está ansioso?).

Em meio às transparências (já cansou?), fendas (de onde saem pernocas à la Angelina Jolie), e recortes — algo me diz que vai pegar no Brasil — destaque pro cantinho da cultuada Wildfox na Bloomingdale’s e para ela, mais uma vez: TopShop, com direito à sessão exclusiva da Kate Moss e um imenso provador que fez com que eu me sentisse na Londres dos anos 1960. (Não que eu saiba pessoalmente como eram os anos 1960. Ou Londres.) Lá vi as Nasty Gals em seu habitat natural, arrancando (literalmente) das araras tudo que vai ser considerado mais in pelas blogueiras de streetsyle e que vai inspirar todas nós nos próximos meses.

E vocês? A quais dessas tendências vocês vão aderir?

________________________________________________________________________



Alda Lima começou a respirar moda ainda na barriga da mãe, que viajava a trabalho para pesquisar e comprar as últimas tendências. Formada em Cenografia, hoje trabalha com Visual Merchandising e Produção de Moda numa grife carioca. Nas horas vagas traduz para a Record, vê séries e filmes, e alimenta os vícios no Pinterest e em cheesecake.


2 comentários:

Camilla Benevides disse...

uau!!! sem palavras!! =*

Unknown disse...

Adoro saber o que se passa nas ruas da grande maçã. Excelente texto!