26 de out de 2015

Tons da galera: SPFW e algumas das próximas tendências

Enquanto nas últimas semanas falamos aqui sobre o que esperar do verão 2016/17, o São Paulo Fashion Week, ou SPFW para os íntimos, fez 20 anos nos últimos dias, mostrando antes pra gente o que chega no inverno 2016.

Sem Gisele (aposentada das passarelas), o evento não foi o bafafá de algumas edições anteriores, mas seguiu a linha das semanas de moda do exterior: um evento mais low-profile, com a qualidade do que se viu nas passarelas sendo muito elogiada.

E o que se viu? Listras, saltos de acrílico coloridos, maxi casacos, moletons e coletes, recortes, patchwork e uma sensualidade mais assertiva. A Animale teve botas de cano longo de cobra misturadas a vestidos leves estilo camisola (slip dresses) e casacos estruturados. Helô Rocha também usou textura de cobra em patchworks que a misturavam à renda e ao veludo. Já Herchcovitch apostou no “poder e luxúria”, segundo ele mesmo, em looks com um toque até levemente sadomasô, remetendo aos seus primeiros dias como estilista.

Samuel Cirnansck trouxe flores aplicadas em seus vestidos, bordados, cristais, tule e vestido de uma só manga, destacando um dos ombros (como já postado por aqui, a evolução disso lá fora para o verão já são os dois ombrinhos de fora). Lily Sarti não quis arriscar e apostou no boêmio anos 1970, que já são febre há algumas temporadas. Reinaldo Lourenço, por fim, apostou na androginia e fez um dos desfiles mais elogiados.


Alexandre Herchcovitch, Animale, Lily Sarti, Helô Rocha e Vitorino Campos.

A WGSN (“O” bureau de pesquisa de tendências) fez uma matéria destacando também o estilo das ruas de quem foi ao SPFW. O que mais chamou a atenção do time foram looks mais simples com pitadas de cor e ousadia.

Lizzy Boering, especialista do site, deu um resumo do que realmente vai se confirmar depois de todas essas semanas de moda: o romantismo (bordados, florais e tecidos leve como a seda, de Alexander McQueen), o maximalismo (looks excêntricos e de cores vibrantes, maxibrincos, óculos grandes como os da Gucci), o sportluxe (esporte + luxo, peças tipo camisola e pijama com tênis cultuado por Alexander Wang e Vitorino Campos, agorinha mesmo no SPFW) e o simples + complexo (vestidos simples com recortes, mistura de texturas, visto na passarela de Gloria Coelho).

A conclusão é de que está tudo junto e misturado: as previsões de Liz juntam o que temos visto para o próximo inverno & para o verão depois dele, ou seja, estilos mais duradouros, que farão bem a transição entre as estações. Nossas carteiras agradecem!

Os destaques de quem esteve por lá segundo o WGSN: esporte+luxo, maxibrincos e toques de cores fortes.


Nenhum comentário: