5 de dez de 2014

Papos de Sexta: Três casas e um poeta

Quando eu tinha 14 anos, meus pais me levaram para ver "O carteiro e o poeta", filme italiano que fez um sucesso danado nos cinemas do mundo todo. Ali descobri Pablo Neruda. Como ainda não havia a possibilidade de ver quem era o cara na Wikipédia, corri para biblioteca do colégio para saber mais. Acontece que, por minha escola ser religiosa, ela não tinha seus livros. Pablo Neruda, poeta chileno, era metido com política – totalmente de esquerda – e, por isso, não era considerado de bom tom lê-lo. Mas, para minha sorte, meus pais me levaram a um sebo que existe até hoje no bairro onde moro, e lá pude comprar três livros de Neruda.
A paixão que já existia pela história do filme aumentou, e lendo sua biografia, no final de um de seus livros, me emocionei: Neruda morreu 6 anos antes de eu nascer.
Um dia, já com a internet a mil, e com milhares de frases do chileno rondando por Orkuts e Facebooks da vida, vi que ele tinha três casas (sim, três!) no Chile e que todas estavam abertas para visitação. Já contei aqui para vocês como foi incrível conhecer a casa da autora de “E o vento levou...". Como podem imaginar, então, eu via as pessoas nas casas de Neruda e sonhava com esse momento para mim.
Pois bem, no último feriado que tivemos chegou finalmente a minha vez: quando combinamos de viajar, meu noivo, junto à minha sogra, me perguntou qual lugar eu tinha vontade de conhecer, para colocarem no roteiro. Poderia ter falado: Valle Nevado, Valparaíso, Ilha de Páscoa... mas falei:
— A casa do Neruda. Me levem lá, preciso ir!
E foi assim que, ao chegar em Santiago, enchi a paciência para me levarem lá. Mesmo exaustos, eles fizeram minha vontade. Andamos um bocado porque nos ensinaram o caminho errado, mas conhecemos La Chascona! A casa é bem colorida. Já é linda por fora, mas seu interior (lembrando que fotos são proibidas) ostenta peças tão diferentes que você nem sabe para onde olhar. Te entregam um guia virtual e você escuta a discrição de cada cômodo: além da paixão pela esposa, citam em qual local ele escreveu determinado livro... E você fica solto, faz sua visita no seu tempo, examina as coisas, sente aquela vibração do poeta, e o imagina ali. As fotos penduradas pela casa remetem imediatamente ao passado.
O clima era tão bom que, mesmo sem poder sentarmos, me senti em casa. Todo o cansaço foi embora. Ao sair, deparamo-nos com uma lojinha com muitas coisas relacionadas ao poeta, e é claro que quis levar todos os livros.
No dia seguinte, nosso tour dava direito a conhecer La Sebastiana, sua segunda casa, onde, dizem, ele morava com a amante. Verdade ou não, a casa não é tão bacana quanto a outra, além de ficar em Vaparaíso, outra cidade, na qual demoramos umas duas horas para chegarmos. Apesar de tudo, a vista é linda. A história de Neruda se confunde com a história do Chile e com a ditadura, pois ele sempre lutou pelas causas nas quais acreditava e fez tantos admiradores quanto inimigos.

Infelizmente não deu tempo de conhecermos Isla Negra, a terceira casa. Mas tudo bem, pois as duas que conheci já ficaram marcadas para sempre. Neruda mora ainda mais no meu coração. 

14 comentários:

Carol Fragoso disse...

Que prazer heim, realizar um sonho. Espero mesmo que você possa visitar a terceira casa.

Rafaela Santos de Souza disse...

Nao conheço esse poeta mas vc me empolgou a conhece-lo:)

mimi disse...

Pena que as fotos do interior não são aceitas. É incrível quando temos um sonho e por fim ele se realiza, parece meio mágico e perfeito. Esta viagem foi marcante para vc não só pelo noivado, mas também pela realização deste sonho.

Cassia Minko disse...

Que bacana! Amei o filme do Carteiro e o poeta também, deve ter sido mesmo maravilhoso ir lá!

Suelen Mendes disse...

Nunca tinha ouvido falar desse autor,mas bacana conhecer um lugar assim tão lindo e com uma história tão especial pra vc.
Bjus

Suelen Mendes disse...

Ainda não conhecia o autor,mas super bacana vc conhecer as casas dele,já que vc admira tanto o trabalho dele.
Bjus

Suelen Mendes disse...

Ainda não conhecia o autor,mas super bacana vc conhecer as casas dele,já que vc admira tanto o trabalho dele.
Bjus

Nathalia Simião disse...

Deve ser demais conhecer um lugar desse, ainda mais você sendo fã do Neruda desde pequena. Sempre vi fotos na internet de tais casas e mesmo sem saber muito sobre ele, sempre tive vontade de conhece-las. Deve ter sido um momento bem mágico, que bom que você teve essa oportunidade.

Jaqueline Felix disse...

Também fui apresentada ao Pablo Neruda através do filme "O Carteiro e o Poeta" e me apaixonei, apesar de não ser muito fã de poesias.
Deve ser fantástico poder pisar na casa desse poeta, porque um pouco da sua essência acaba ficando, nas paredes e objetos, e vc observa as inspirações que ele teve e os cenários que ajudaram o Neruda a sonhar.
"Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas" Pablo Neruda

Cinthia Viviane Soares disse...

A primeira vez que eu li algo do Pablo Neruda , foi na escola em uma Oficina de poesias , eu tive que ler Ode à cebola para os meus colegas ... Achei super legal o poema e decidi pesquisar mais sobre ele .. As casas que ele tinha são lindas , Isla Negra é maravilhosa e La Chascona também !! A de Valparaíso não é tão bonita rsrsrs mas vale muito a pena conhecer todas !!
Beijos

Lilly DiCine disse...

Oi, Raffa!!!
Que delícia de texto! Nada como ter a oportunidade de sentir um lugar através das palavras de alguém que teve a oportunidade de estar lá. Só podemos te agradecer por falar com tanto amor e clareza de um lugar que muitas de nós gostaríamos de poder visitar... Devo dizer que sinto um certo aperto no coração quando te vejo falar sobre como ele esteve ali, naqueles cômodos e hoje é apenas memória... A brevidade da vida me assusta muito... muito mesmo. Mas, amei amei muito você ter compartilhado essa experiência...

Érika Rufo disse...

Que delícia de passeio Rafa! Com certeza inesquecível. As casas são belíssimas por fora, fico imaginando por dentro... deve ser tudo tão perfeito. Esse é um passeio que eu adoraria fazer, quem sabe um dia??

Beijinhos!!

Evellyn Reist disse...

Oi Raffa =)
Também não conheço Pablo Neruda, mas seu entusiasmo nos faz querer procurar sobre ele. Fico muito feliz por você ter realizado um sonho, e torço que você volte e conheça a terceira casa e, nos conte como foi.

Beijo grande

Adriana disse...

Conhecemos as casas de Neruda junto contigo, mesmo sem fotos, podemos imaginar, através de suas palavras como são e isso é muito legal! Fiquei muito feliz por voce realizar seu sonho, não é sempre que conseguimos isso né, parabéns e obrigada por compartilhar isso com a gente, bjão!