4 de dez de 2014

Galera entre letras: Os melhores de 2014 e o que 2015 reserva

Agora é a vez da gente falar sobre o que 2015 reserva de bom pra quem gosta de ler! Como comentei na última coluna, ano que vem teremos uma tendência mais “realista” nas histórias (o que não significa, de modo algum, que a gente não vá ler fantasia; ao contrário, vem muita coisa boa por aí! Só que as histórias vão centrar mais nos problemas da vida – em mundos alternativos ou mesmo no futuro).

Separei três títulos que vão dar o que falar no próximo ano. Um deles, Afterworlds, vai ser publicado pela Galera Record e tem tudo pra ser o livro de 2015!

Sobre os outros dois, não tenho informações a respeito da publicação por aqui.

The Fifth Season [A Quinta Estação, numa tradução livre], de N. K. Jemisin (lançamento em agosto). Esse é um dos livros que eu aguardo com mais ansiedade. Já li outros da N. K. Jemisin (uma autora afroamericana jovem e bastante premiada) e, embora seja um livro que mistura fantasia e ficção científica, tem uma vibe realista ao abordar um mundo após repetidas extinções. Nesse mundo decadente e distópico, a vida nas grandes cidades que sobreviveram tem que se adaptar constantemente em meio às ruinas – e aos detritos – do passado. O título da série é “Broken Earth” [algo como “Terra Dividida” ou “Terra Partida”] e parece promissor. Como eu fiquei bastante impressionada com o filme Interestelar, que está sendo exibido nos cinemas, a sinopse que eu li do livro da Jemisin me lembrou um pouco da primeira parte do filme, com a terra (e a Terra) exaurida e com pouca renovação (ou variedade) dos recursos naturais.

All the Bright Places [Todos os Lugares Claros ou Luminosos ou Felizes, numa tradução literal], de Jennifer Niven (lançamento em março). Eu nunca li nada da autora, mas no Goodreads (conhecem? É uma ótima fonte pra pesquisar sobre livros) dizem que é Culpa das Estrelas + Eleanor e Park. Achei interessante! O livro conta a história de um garoto fascinando com a (própria) morte e de uma garota que acabou de perder a irmã e só pensa no futuro e em sair da cidade onde mora. Eu gosto de dramas, confesso. E me parece que o encontro de personagens tão diferentes um do outro pode render boas situações e boas reflexões também. pelo que li, o livro trata não só da questão da morte e da tristeza, mas também da superficialidade dos relacionamentos e de tentar passar uma imagem de quem não se é, coisa que, de certa forma, a gente vive (ou vê) todos os dias.


O terceiro livro já até foi lançado no exterior, mas eu gosto tanto das traduções da Galera Record que resolvi esperar. Afterworlds tem tido bastante destaque nas resenhas estrangeiras e eu já comecei gostando do título do livro (um trocadilho óbvio com “afterword”, “epílogo” ou “posfácio”, em inglês). O livro conta a história de Darcy Patel, uma jovem autora que meio que para a vida em função do livro que está escrevendo: justamente Afterworlds. Eu sou fã de histórias metalinguísticas (livros-dentro-de-livros; filmes-dentro-de-filmes) e o Scott Westerfeld é um dos meus autores YA favoritos. O livro alterna os capítulos entre o livro real (isto é, a história de Darcy) e o livro que ela escreve (que tem Lizzie como protagonista). Como o Westerfeld é um autor muito criativo (com ótimos diálogos e ambientação e excelentes protagonistas), estou esperando mais uma ótima história, e vai ser bom ver um YA retratando o mercado editorial (será que ele incluiu algum autor ou editor conhecido como personagem do livro? Não é raro os autores fazerem isso e, sem dúvida, vai ser curioso encontrar algum nome conhecido no livro!)

E quanto a vocês? Algum destaque ou expectativa?

Boas leituras e até!

Nenhum comentário: