31 de out de 2014

Papos de sexta: Respira


Um
Dois
Três
Respira
Ele está de joelhos. Nunca pensei que o veria de joelhos.
Um
Dois
Três
Respira
Ele coloca todo o seu peso em seus braços, entrelaçando os dedos e golpeando o peito dela com as palmas de suas mãos.
Um
Dois
Três
Respira
Sou ar. Sou tudo e nada. Nada sinto. Nada dói, não mais. Nada além da cena à minha frente. Meus olhos embaçam, mas as lágrimas não caem. Tenho todas e nenhuma mais. Sou ar.
Um
Dois
Três
Respira
Acho que escorrego pela parede até sentar-me no chão. Ela não se move. Ele não desiste. Eu quero chorar.
Um
Dois
Três
Respira
Posso ver que os braços dele estão cansando. Quero abraçá-lo e sussurrar ao seu ouvido. “Está tudo bem. Vai ficar tudo bem”. Mas eu não me movo.
Ele continua, seus olhos transbordam.
Um
Dois
Três
Respira
Um
Dois
Três
Respira
Ele pausa, deixando o cansaço tomar conta de seu corpo. Ele deixa a cabeça pender. Ele se deixa cair sobre ela.
Derrota
Desespero
Vai ficar tudo bem
Nada dói mais
Respira

Um comentário:

Raffafust disse...

Frini

Amei o que escreveu. Estava inspirada! tenso e intenso. Parabéns :) Devia escrever um livro com esses seus momentos de inspiração pura !

Beijos