27 de jun de 2014

Papos de sexta: Saudações e adeus

Arte de Cliff Nielsen

Querida Cassie,

Sete anos atrás, você nos revelou o mundo dos Caçadores de Sombras, humanos dotados de habilidades especiais devido ao sangue angelical que corre em suas veias.

Você nos fez crer que estaríamos perdidos se não fossem os Nephilim, que os seres do Submundo nunca teriam chegado a um acordo e que nosso mundo seria destruído por um exército de demônios.

Você nos apresentou personagens formidáveis e, por sete anos, nós sentimos as mesmas dores e alegrias que eles. Você nos fez suspirar por Magnus e Alec, e desejar que esse amor fosse eterno. E Simon, nosso querido Simon, como nós torcemos para que tivesse um final feliz.

Foi sua culpa termos nos apaixonados por Jace, e ele por Clary, e ela por ele, e então não sabíamos se torcíamos para que os dois ficassem juntos ou se morríamos de ciúmes por saber que o coração dele nunca seria nosso.

Você nos fez desejar amores proibidos e beijos com gosto de maçã, amassos em um beco escuro ou no escurinho de uma boate, tocar apenas os dedos da mão da pessoa amada ou sentir o corpo do outro aquecer o seu. Mas você também criou vilões que aprendemos a respeitar com o passar dos anos.

Você nos ensinou que o perigo pode estar dentro de nossas casas e que laços de sangue podem derramar mais sangue, causando a morte e a destruição.

Você nos fez querer vestir preto todos os dias, exceto quando perdemos uma pessoa querida. E, pelo Anjo, nós perdemos personagens queridos nesses sete anos, e você nos fez chorar quando se foram.

Você nos ensinou que amar é destruir e que ser amado é ser destruído. Sete anos e seis livros depois, nossos corações estão em pedaços.

Você nos disse que todo encontro leva a uma partida e que toda despedida é também uma saudação. A cada sete anos, um ciclo da vida chega ao fim e tem início uma nova jornada.

O ciclo de Os Instrumentos Mortais está concluído.

Ave atque vale, Cassie.

Saudações e adeus.

7 comentários:

Frini Georgakopoulos disse...

Minha querida Parabatai, você sabe muito bem que não curto Cassie Clare, mas você também sabe que fui conquistada por essa escritora ao me perder entre anjos, príncipes e princesas mecânicas. Cerca de 150 anos antes de Jace, Simon, Alec e Clary, também senti a perda de personagens amados, suspirei com beijos roubados em carruagens e tive a esperança renovada em um encontro em uma certa ponte londrina. Mas, pra mim, um dos grandes feitos de Clare não foi apenas uma trilogia muito bem escrita, mas o presente de ter uma Parabatai. Você é o Jem pro meu Will (ou o Will pro meu Jem) e nós duas somos a Tessa (tá, pareceu meio lésbico, meio incestuoso, mas você entendeu! AHAHAHHAHAAH).

Linda a coluna, Tita. E Cassie vem aí.

#PartiuDesespero

Just me disse...

Eu adorei a carta, descreveu o que todos nós, leitores de IM sentiu e desejou falar a Cassandra Clare!
Bjs

http://achadosdamila.blogspot.com.br/

Tita Mirra disse...

Oin, Frini! Eu já estou chorosa por conta do final de IM, depois do seu comentário então... *snif* Enfim, adoro vc, parabatai <3

E Camila, estou pensando em traduzir pro inglês e enviar para a Cassie :D

Tita Mirra disse...

Ah, Frini! Eu já estou chorosa por conta do final de IM, depois do seu comentário então... *snif*
Adoro vc, parabatai <3

E Camila, estou pensando em traduzir a carta pro inglês e enviar para a Cassie :D

Obrigada pelos comentários, meninas!

Sandra Mello disse...

Linda carta! Por favor, transcreva para o inglês e entregue a ela na Bienal.
Snif

gel disse...

Como nao nos apaixonar por anjos sofredores...maes super protetoras...amores que esperam...como Luke e Jocelyn...e o amor mais forte do mundo...de um parabatai..como Jim e Will...como chorei qd Tessa perdeu Jim e mais ainda qd ela perde Will pra sempre e como nao se apaixonar por nosso ironico Jace e nossa ruivinha Clare...sem comentar sovre meu personagem preferido Magnus..ou choro denovo...Va com o Anjo...Saudacoes e Adeus.

Laine Pereira disse...

Me emocionei! E como não chorar com um tecto tão tocante? Como não se identificar com um desabafo tão sincero? Como não concordar com uma declaração de amor tão pura? Hoje eu sinto um vazio, que não consegue romper minhas entranha somente porque há a esperança da continuidade dos nossos caçadores de sombras em 2015.
Obrigada por representar e simplificar nosso sentimento!