2 de set de 2011

Papos de sexta: Três prédios, milhares de pessoas, uma paixão, por Frini Georgakopoulos

A fila de carros e ônibus ainda não tomou a frente do primeiro prédio. Enquanto o carro é estacionado, enquanto os passageiros descem do coletivo, os olhos estão vidrados na porta de entrada. Eles não piscam. O prédio é imenso e todos sabem o que ele abriga. A cada passo dado – devagar no início e quase uma corrida à medida que a porta se aproxima -, a ansiedade no peito de cada um se torna quase tangível.

Dentro, somos abrigados do sol, mas não do calor, que domina o local. Mas o sorriso estampado no rosto é tão largo, o frio na barriga é tão bem-vindo, que o calor passa a ser integrante do ambiente, mais um elemento que caracteriza a experiência e que, por mais que desejássemos ser atenuado, não invalida a situação.

Ao passar pela catraca da entrada, os olhos sobem ao teto e os lábios se partem em um silencioso “Uau!”. Espaços lindos, convidativos e não demora muito para nos atrapalharmos. Será que devo sacar o bloco de autógrafos, a máquina fotográfica ou a carteira primeiro? A cada passo, um rosto conhecido, um abraço apertado e vários “você já pegou a senha para tal evento?”, “a fulana já está na fila. Vamos tentar sentar juntas?” e “segura a minha bolsa porque preciso correr naquele estande a-go-ra!”.

Fila. Fila para todos os lados, mas isso também faz parte da experiência. Muitas vezes é uma das melhores partes, pois amizades são feitas nas filas, pessoas se reencontram, confraternizam. Já presenciei – e fa-to que vou presenciar novamente – até aniversários serem comemorados na fila. E rola uma estratégia! Um grupo guarda lugar enquanto outro compra comida. E nada de saladinha! Para aguentar o dia todo, tem que ter sustância! A dieta fica suspensa e dá lugar a alimentos mais ... digamos ... fortes. Água é preciosa nesse evento e deve ser consumida durante o dia todo. Afinal, o calor é grande e ter queda de pressão ou desidratação significa perder um autógrafo.

De repente, ouve-se uma gritaria! É ele! É ela! AimeuDeusvoumorreragora! Carrinhos de golfe passam rapidinho, dirigidos por pessoas rindo horrores e não acreditando que uma pessoa pode causar tanto alarde. Gritaria, correria, mas sempre um ajudando o outro. Nada de empurra-empurra! Então ele ou ela saca uma caneta e .... todos gritam mais ainda!

Não, não é o Rock in Rio. É a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que começou ontem e que já habita o nosso calendário desde o final da última. Lá, ou você escreve ou você lê. Ninguém dubla ou se apoia em dançarinos. É você e o autor e só. Todos amamos as palavras e é por elas que enfrentamos trânsito, calor, filas. O único elemento inebriante é o entusiasmo. As estrelas são autores, que usam as próprias palavras para descrever o que nós – às vezes, tão longe deles – sentimos.

Espero encontrar todos por lá! Curtam os estandes (que estão LINDOS!), comprem muitos livros, tirem muitas fotos, façam amizades, tietem seus autores preferidos, conheçam autores novos e se deixem levar pelo conhecimento, aventura, romance, suspense e até pela auto-ajuda! Aqui, todos os livros ajudam. Espero vocês lá!

*Frini Georgakopoulos mediará a Conexão Jovem com Lauren Kate e não consegue parar de sorrir por causa disso. :)

7 comentários:

Vivi Maurey disse...

LINDO!!!!! É realmente MUITO emocionante! TO MUITO dolorida depois da montagem lá do stand e do maldito display de Cowboys & Aliens (que vcs vão ver, rs), mas valeu MUITO a pena e me sinto honrada de fazer parte de um evento como esse! ;) Yay! MEGA FELIZ!

E parabéns pela coluna, Frinoca! LINDO TEXTO!!

Bjão!

Vivi

Anônimo disse...

Mais uma vez sensacional!! Aua paixão por livros é contagiante!!! Bjs!
Thalita

ALINE T.K.M. disse...

Ahhhhhhh, queria TANTO estar aí!!!!!

Michele disse...

Lindo texto ,amei parabens !!! Mas uma pena que não irei em nem 1 diazinho sequer .

Ѽ Michelle Ѽ disse...

Lindo texto Frini, lindo mesmo. Me sinto como você e tiro das suas palavras as minhas. Amanhã estarei lá (e em vários outros dias também, claro) e já sinto borboletas do estômago por causa disso. rs
Só não concordei com um frase do texto que diz: "Lá, ou você escreve ou você lê." Eu leio e também escrevo e estou juntando coragem para publicar algum dos meus livrinhos quem sabe na próxima Bienal(?).
Espero encontrá-la lá e ter coragem de me apresentar (eu sou super corajosa né? rsrs).

Bjusss
Viciados Pela Leitura

Raffafust disse...

Frini

Seus textos sempre maravilhosos! Bem eu senti já dois dias essa emoção mas a maratona merece um belo Dorflex no final! E o incrível..é cansativo demais mas amamos e voltamos quantas vezes for necessário! é assim mesmo , pode vir calor, pode ficar frio ( hoje tava de bater queixo no ponto do ônibus!) mas o sorriso vendo as fotos e os autógrafos nos lindos mas pesados livros estavam lá compensando qq contra tempo!

Bjos e espero te ver lá, senti dua falta!

Loucos Por Livros! disse...

Frini, estou aqui comentando 00:13 já no sábado, dia que irei conhecer a XV versão da Bienal. Passei o dia todo sonhando com esse momento. As mãos suando, co roação batendo forte, aquele sorriso estampado no rosto e aquele momento que você conhece o escritor e diz: "Eu te amo!" Acho que você representou super bem o nosso sentimento pela Bienal. Quando muitos estão enchendo a cara durante o dia, nós cultivamos a cultura. Viva os livros! Essa Bienal será maravilhosa e como você já disse, sempre acontece aquela ajuda entre amigos. Estou contando as horas e acho que não dormirei direito. Nos vemos amanhã, diva!
Simplesmente amei o texto! Está de parabéns!
Beijos ;*

Ana Carolina
http://loucospor-livros.blogspot.com