30 de set de 2011

Papos de sexta: Pontes de palavras, por Regiane Winarski

Em meus quase quatro anos trabalhando como tradutora, já ouvi várias vezes que a tradução é um mal necessário. Que o tradutor é um escritor frustrado. Que o texto traduzido é um texto falso. Mas tenho que discordar dessas ideias.

Como leitora ávida, antes mesmo de optar pela profissão de tradutora, posso dizer que o que me encanta são histórias. Quando comecei a ler Monteiro Lobato, aos 7 anos, nunca parei para pensar na existência de outras línguas. Quando fiz o upgrade dos livros infantis para os best-sellers que meus pais tinham em casa, descobri outros países, outros mundos, lendo livros traduzidos. Fui levada à Inglaterra de Arthur Conan Doyle e Agatha Christie, aos Estados Unidos de Stephen King, ao confinamento de Anne Frank.  De que outra forma eu poderia ter conhecido Kafka, Dostoiévsky, Kundera, Camus, Zafón?

Por esse motivo, contesto quem diz que a tradução é um mal necessário. Como ver como um mal a capacidade de tornar uma bela história acessível a quem não domina a língua na qual foi escrita? É claro que, assim como em qualquer profissão, há bons e maus profissionais, os que buscam se aprimorar e os acomodados, os que encaram apenas como sustento e os que amam seu ofício. Mas o tradutor é o operário invisível que constrói a ponte entre o leitor e o escritor estrangeiro. Dificilmente o tradutor não é um amante de livros, embora nem sempre consiga trabalhar com o gênero de texto de que gosta (sou uma sortuda nesse aspecto). Em geral, acho que posso dizer que o tradutor ama as palavras, as construções, se encanta com a beleza dos sons e dos encaixes, adora trocadilhos e se frustra com piadas intraduzíveis e, mais do que tudo, quer que o leitor daquele livro sinta as mesmas emoções que ele ao lê-lo pela primeira vez (ao menos quando o livro é bom, rs).

O bom profissional sabe que precisa entender a voz do autor para poder transportá-la para sua língua e que deve interferir o mínimo possível. Quando interfere (pois duas línguas nunca são um par perfeito, onde há correspondência em uma para tudo que existe na outra), faz isso buscando se manter fiel ao autor e à natureza do texto. O bom tradutor também precisa dominar o português, escrever com correção, ter uma boa base cultural, ter disposição para abrir mil dicionários e gramáticas quando precisa (Wikipedia não vale!), ter paciência para pesquisar as coisas mais loucas, ter humildade para admitir que não sabe tudo, não ter vergonha de perguntar e não ter preguiça. O cérebro vive alerta, mesmo quando parece desligado. (São os momentos em que tenho as melhores ideias!) E, ainda que não ame o tipo de texto com o qual trabalha, o bom tradutor precisa lembrar que sua assinatura acompanha seu trabalho e que ele é seu cartão de visita, produto do seu esforço e que deve ser o melhor que ele é capaz de fazer.

Tenho muito orgulho do meu trabalho e comemoro o dia de hoje com alegria. Desejo muito sucesso aos meus colegas de profissão e torço para que cada vez mais os leitores não percebam o nosso trabalho enquanto leem um livro. Quando um leitor aprecia o texto de um autor sem perceber o trabalho do tradutor, isso quer dizer que esse trabalho foi bem-feito. Mas passar despercebido não quer dizer ser esquecido. Por isso, viva o dia do tradutor!
-------

Regiane é colaboradora da Galera Record e já traduziu vários títulos, dentre eles Swoon - amor além do tempo, Dezesseis luas, Quando cai o raio, Insaciável e Dezessete luas.

O Papos de sexta hoje é extra e especial em homenagem aos tradutores! Feliz dia do tradutor! =)

21 comentários:

sonhosentrepontinhos disse...

Ótimo o texto.
Não acho que o Tradutor seja "um mal necessário" - como dizem as más línguas!
O tradutor é indubitavelmente necessário e seu trabalho é fantástico.
Respeito e admiro muito!
Beijos, Mila ♥

@Camilla_Leitte
http://sonhosentrepontinhos.wordpress.com

.: Yago :. disse...

E EU SÓ TENHO A AGRADECER À REGIANE! FOI ELA TORNOU POSSÍVEL A MINHA LEITURA DE DEZESSEIS LUAS, QUE TAMBÉM SE TRANSFORMOU NO MEU LIVRO PREFERIDO!

FELIZ DIA, REGIANE!!!

Mônica Reis disse...

Parabéns pelo nosso dia! Que haja mais respeito pela nossa profissão! Bjs!

Mônica Reis

Patricia disse...

Ótimo texto! E parabéns pelo seu trabalho e pelos ótimos momentos que ele nos proporciona.
Feliz dia do tradutor.

G. disse...

Que bonito! Um beijo pra todos esses colaboradores incríveis!

Giu :)

Vivi Maurey disse...

MUITO fofo o post!! Parabéns pela profissão que torna possível uma imensidão de alegria para nós leitores. ;)

Thaís disse...

Parabéns pelo Dia do Tradutor!!!

Muito emocionante esse texto!!!

Nós somos agraciados pela ponte do bom tradutor, afinal, pessoas que não dominam o inglês, como eu, têm o prazer de acessar esses livros, cuja barreira de língua, foi transposta por você!!

Regiane disse...

Obrigada, pessoas lindas! Como conseguir traduzir minha cota de hoje com tanto amor no ar? hehehe

Anônimo disse...

Bem, lembrado. Assim como um árbitro de futebol, o tradutor fez um bom trabalho quanto não se nota sua participação. Ainda assim, ele é fundamental pro jogo. No caso da atuação do tradutor na literatura, o jogo é a acessibilidade da obra por pessoas de todo o mundo.
Ah, legal ver que tradutoras também podem ser bonitas. Parabéns pelo seu dia, Regiane, continue fazendo com paixão seu trabalho, com a certeza de que ele é muito importante.

Lisa disse...

Oi Regina!

Adorei o texto e parabéns pelo seu dia. Também não acho que seja um "mal necessário".

É um trabalho de inclusão cultural muito importante pq nem todo mundo tem a obrigação de ser fluente em outra língua.

Muita gente tira onda e bota defeito em tudo só pq fez um cursinho de inglês de esquina, mas se esquece que língua estrangeira não é só inglês (quero ver só tanta arrogância quando pegarem um texto em hebraico....) e que traduzir para outra pessoa é muto mais complexo do que ler para vc mesmo.

Fico bem revoltada qd encontro um trabalho de tradução mal feita, mas em compensação tenho vontade de abraçar o tradutor que consegue se livrar de algumas sinucas de bico armadas pelos nossos autores preferidos.

Ainda não cheguei a ler nenhum trabalho seu (estou com Quando cai o raio na fila aqui), mas é sempre bom perceber o amor de um profissional pelo seu trabalho assim como você. Por isso, desde já dou meus parabéns pela paixão e pelo seu dia.

Bjs
Lisa

Di Carvalho disse...

Muito lindo, adorei! :)
Beijinhos,
Di

Anônimo disse...

Regiane
adoreri seu texto, agradeco a todos os tradutores que nos proporcionam momentos bons com os livros.Eu nao domino ingles, entao considero um ótimo trabalho o seu.
E também adorei saber quem traduziu o livro que atualmente estou lendo, Insaciavel!!!
Bjokas

Nany Souza

Thais disse...

Ah! Feliz dia do Tradutor. Muito sucesso e muito trabalho pra ti.
Como um tradutor pode nos encantar, tornando possível a leitura de autores tão bons por todo o mundo, eles também tem o poder de acabar com um bom livro.
Mas você com toda certeza é das boas.. Comprei Insaciável, e li os primeiros capítulos.. Está ótimo, parabéns. ;D

Fotos e Livros disse...

Acho o trabalho de tradutor um GRANDE TRABALHO de que outra forma as pessoas que não sabem inglês ou outra língua teriam acesso a livros importados... e o bom trabalho de tradutor ajuda o autor original e os livros 'nacionalizados'... louvo o trabalho de vocês e agradeço!

Apenas de uns tempos pra cá comecei a ler em inglês... mas apenas os livros que a ansiedade fala mais alto... na maioria das vezes aguardo que vocês façam o trabalho, excepcional que só vocês podem fazer! E mesmo lendo em inglês, ficam coisas que só vou entender perfeitamente quando vcs fazem a tradução.

Adorei seu texto... e parabéns a todos os tradutores do BRasil... principalmente vc e a Aninha, amigas do coração!

Leonardo disse...

De fato a tradução é boa quando passa despercebida. A princípio é sempre melhor ler o original, mas ler o Nietzsche em alemão ou a Anne Frank em holandês fica complicado para a maioria de nós. E ficar sem acesso a essas obras também é complicado. Então viva os bons tradutores! Parabéns!

Só não vais me convencer a ver filmes dublados! Mas as legendas são muito úteis também. Beijao Nane! Legal o blog!

Anônimo disse...

Um trabalho especial vindo de uma amiga especial, no qual tenho imenso orgulho!

Feliz dia do tradutor!!!
Lariel

Loucos Por Livros! disse...

Nane, que texto lindo! Eu quero me tornar uma futura tradutora quando eu me formar em Letras, se Deus quiser. Acho que as pessoas não dveriam desmerecer os tradutores não. São eles que possibilitam a leitura de textos que talvez nós nem conseguiríamos entender. Também acho que o tradutor não conhecer certas palavras e gírias só os faz aprender mais.
Amei o texto e feliz dia dos tradutores!
Beijos ;*

Ana Carolina
http://loucospor-livros.blogspot.com

Patrik Ruam disse...

Muito bom o texto. Feliz dia do Tradutor!
Esse é o meu sonho de carreira e espero ser tão bom como você, pq eu simplesmtne devorei Quando Caio o Raio e amei, um excelente trabalho. E é sem dúvidas que os tradutores são importantes.

Patrik Ruam,
Garoto entre Livros.
www.garotoentrelivros.blogspot.com

denise bottmann disse...

muito legal!

Mayara disse...

Regiane,

Parabéns pelo texto. Muito bem escrito e não só fala da importancia de um tradutor, ele transborda sentimentos...Isso contece qdo fazermos o que nos gostamos e nos dá prazer.

Parabéns pelo dia!

May

Anônimo disse...

Quem dera que todos os tradutores fossem tao bons e levassem tao a serio o trabalho como vc, Nane. Acho vc barbara e a traducao de Swoon e simplesmente excelente!

bj
Frini