6 de abr de 2012

Papos de sexta: A companhia inesperada, por Garota It (Pâmela Gonçalves)

Você está confortavelmente sentado em sua poltrona favorita, desfrutando de um bom livro. Seu ritmo de leitura é fantástico e você não consegue ficar longe daquele objeto cheio de páginas por muito tempo. O hábito de ler já faz quase parte das suas necessidades básicas.

Os últimos raios solares da tarde transparecem pela cortina e repousam nas páginas facilitando a leitura. Você se distrai com uma brisa estranha e olha a sua frente, repousando o livro no colo. Ela está olhando diretamente para você. Você se assusta com o olhar malicioso e a despreocupação dela.

– Co-co-mo você entrou aqui? – pergunta.

– Pela porta dos fundos – responde ela tranquilamente, divertindo-se com a situação.

Você a encara mais uma vez com desconfiança, não entendendo como ela esta ali e muito menos de quem se trata.

– Oh, meu querido! Não precisa ficar assustado! – A estranha dá alguns passos a frente. – Está gostando da leitura?

A poltrona que antes parecia tão confortável simplesmente se torna o pior lugar em que você gostaria de estar. Os raios de sol que até pouco tempo atrás o aqueciam e iluminavam as palavras do seu livro já se foram. O lugar está ficando escuro e um calafrio percorre todo o seu corpo.

– Si-sim. Acho que sim.

– Que ótimo! – comemora a estranha com ironia. – Você não está cansado de tanto ler?

– Não, eu gosto de ler! – A pergunta te dá força necessária para uma resposta confiante. Você corrige sua posição no assento e olha desafiadoramente para a presença estranha que está a sua frente.

– Ah, querido, dê um tempo! Acho que esse livro nem é tão bom assim, não é? – Ela inclina a cabeça para o lado dando um tom infantil à sugestão.

Você abaixa os olhos e estranhamente começa a considerar a hipótese. Será que o livro é tão bom assim mesmo? Sobre o que eu estava lendo? Chegando a uma conclusão, você olha novamente para frente e confirma:

– É, ele nem é tão bom assim – responde, confirmando a expectativa da estranha.

– Isso! Foi o que eu te disse! Seremos ótimos amigos! – Ela comemora batendo palmas.

– Sim, seremos. – Você confirma novamente, sorrindo dessa vez. Pensa um pouco e franze a testa, em dúvida. – Hum, qual é mesmo o seu nome?

– Ah, claro! Que idiotice a minha, nem me apresentei! – Ela observa e, se aproximando,  estende a mão direita. – Ressaca. Ressaca Literária!

Você a cumprimenta e abandona o livro na poltrona. Ele repousará no mesmo local por algumas semanas. 
Como você está ocupado demais graças à companhia de Ressaca, não consegue nem mesmo avançar uma página na leitura. Mas sua mais nova amiga não ficará por muito tempo. Aos poucos, você percebe que ela nem era tão legal assim e que as coisas que ela disse sobre aquele livro não eram verdadeiras. E então a leitura volta a ser seu prazer e seu hobby preferido.

As coisas voltam ao seu devido lugar.

--------------------------------

Infelizmente eu já conhecia a “querida” Ressaca Literária, e ela fez questão de me fazer uma visitinha no último mês. Ainda bem que ela já foi embora, mas foi uma das maiores temporadas em companhia da fulaninha que eu já tive! Foi um momento triste, mas estou de volta!

Oh, meus amados livros! <3

8 comentários:

Dandra disse...

Hahahaha adorei Pâm!

Bem bolada essa ideia como personagem da tal da Ressaca, Ressaca Literária rs

Tefinha disse...

Já passei por uma espécie de ressaca literária, mas ela não aconteceu assim do nada. Foi por culpa do livro da senhorita Samanta Holtz, "O Pássaro", que eu não consegui ler nada por dois dias. Não conseguia tirar esse livro da minha cabeça. Conta como ressaca literária?

Tefinha - http://aminhadimensao.blogspot.com/

Pah disse...

MTO BOM!

Julia disse...

Adorei Pâm! A nossa grande amiga Ressaca também me visitou esses dias. Não gostei dela nem um pouco, a achei muito metida, hahaha
Beijos

thebooksthief.blogspot.com

Julyana Mend's disse...

Nossa! que criatividade Pâm! Rs, simplesmente amei essa sua idéia de retratar a nossa "querida" Ressaca, Ressaca Literária.
Foi ótimo, me entreti muito com os detalhes na narração.
Eu também já tive essa danada ressaca,mas a duração dela foi bem pequena(felizmente) e assim como vc eu já estou de volta aos meus amados livros,e não vejo a hora de devorar cada um deles rsrs..

Beijos,
Julyana - Em sintonia com os livros

Felipe Fagundes disse...

Detesto ressaca literária! Ela sempre vem quando acabo um livro muito bom, como se eu jamais fosse encontrar um livro tão bom quanto este, todos os outros perdem a graça. Ainda bem que é passageiro.

Raffafust disse...

Oi Pam

Bem, eu já tive várias ressacas literárias! hahah tantas que nem lembro mas com a graça divina estou bem agora! Precisando de um livro sempre ao lado como quem precisa de ar sabe..

excelente texto

bjão

.Bárbara Matos. disse...

Adorei Pam! hihi