12 de out de 2012

Papos de Sexta – Você gosta de quem é?, por Frini Georgakopoulos


Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino”.
1 Coríntios 13:11

Hoje, 12 de outubro, é comemorado o Dia das Crianças. Essa data é dedicada a homenagear a criança da família, mas também a que vive em cada um de nós. Eu, por exemplo, adoro coisas que são consideradas de criança, como Disney, literatura jovem e coisas fofinhas (como capas coloridas para celular e bichos de pelúcia). Isso faz de mim uma pessoa infantil? Não. Isso faz de mim uma pessoa que sabe o que quer e não tem vergonha de quem é.

Nos últimos meses, muitas coisas aconteceram comigo — tanto na esfera pessoal quanto na profissional —, que me fizeram questionar muitos aspectos, situações e pessoas, inclusive eu mesma. Me identifiquei muito com a coluna da sexta passada, escrita pela Pam e decidi ingressar com vontade em meus questionamentos.

12 de outubro não é apenas o Dia das Crianças, mas é meu aniversário. A cada ano, fico mais velha no dia em que é comemorada a juventude. A cada vela adicionada ao topo do meu bolo, faço o balanço do que tenho feito com minha vida, o que ainda quero realizar e conquistar, quem sou e se gosto dessa pessoa que está soprando as velas. A cada ano, amadureço e com cada lição aprendida — de maneira fácil ou através de luta e lágrimas —, batalho cada vez mais para que, nesse mesmo momento, no ano seguinte, o saldo continue sendo positivo. Acho importante gostarmos de nós mesmos, estarmos confortáveis em nossa própria pele. Acredito que isso nos faz conhecer quem somos, nossos limites, nossos valores e princípios. E o melhor é que, se o saldo não for positivo, nós, e apenas nós, temos a capacidade e o poder de mudar.

Coloquei aquela passagem da Bíblia para abrir a coluna porque acho que ela diz muito e se encaixa no assunto abordado (ignorem o fator religião, por favor, se não for válido para vocês). Para mim, crescer, amadurecer e envelhecer são conceitos diferentes, mas que vivem sendo confundidos. Com o amadurecimento vem responsabilidade por suas ações e pelas consequências delas. Já envelhecer é coisa biológica, que só leva o corpo, mas, a meu ver, não deveria levar a mente nem o humor. E crescer... bem, depende de como cada um quer colocar em contexto.

E aí? Se o seu aniversário fosse hoje, qual seria seu balanço? E como você se sente sobre isso?

Termino a coluna (pra lá de filosófica) desse mês com outra passagem, desta vez de um poema que gosto bastante e que tem tudo a ver com o momento que estou vivendo. Para falar a verdade, ele sempre se encaixou em diversos momentos da minha vida e espero que possa ser algo bacana para vocês também. Bom feriado para todos!

Em algum ponto, duas estradas bifurcavam numa árvore. Eu trilhei a menos percorrida e isto fez toda a diferença”, Robert Frost.

8 comentários:

rscarone disse...

Lindo texto! Parabéns pelo dia de hoje minha linda! bjs

VOLLZIN disse...

Se meu aniversário fosse hoje, meu balanço seria muito positivo. A cada ano que passa - e principalmente nos últimos - esse balanço só tende a ficar melhor, a significar mais coisas, e isso me deixa muito feliz. Eu acho que o amadurecimento tem sido importante pra mim, isso sem nunca deixar juventude de dentro ter um papel importante para nada ser chato e a positividade continuar.
Parabéns, Frini. Que seus aniversários nos dias da criança sejam sempre positivos.

Lygia Netto disse...

Adorei esse Papos de Sexta, Frini...foi um dos melhores que vc já escreveu. Posso assinar embaixo?

Aproveitando, parabéns pra vc, lindona! Felicidades hj e sempre! =)

Beijo grande!

Luh - ルシアナ disse...

Parabéns Frini!!!!

Gostei do que você escreveu, mas nunca parei para me analisar, acho q se eu fizer isso vou me odiar mais q me amar...
Mas vou procurar melhorar as minhas falhas.

Fernanda Moura disse...

Entro no espírito: se meu aniversário coincidisse com o dia das crianças, provavelmente eu seria lembrada todo ano de algo de que venho me esquecendo - não perder a espontaneidade. Dar umas cutucadas em certa polidez que às vezes se torna uma formalidade excessiva. Mas sempre com doçura. Pois não se pode perder a doçura, não é mesmo? Feliz aniversário e parabéns pela coluna.

Raffafust disse...

Oi Frini

Acho que você nasceu no dia certo pois o lado criança não quer dizer infantilidade mas sim alegria e ninguém é mais alegre que uma criança.
Todo aniversário me sinto pressionada a fazer balanços do que fiz, do que pretendo fazer e do que queria mas não dá mais tempo!
E isso de certa forma é desesperador.
Mais uma vez desejo Feliz Aniversário! Desejo muitas felicidades sempre!

Beijos imensos

Mari Stofel disse...

Fiquei aqui uns bons minutos pensando em como faria o meu balanço e, ao invés de encontrar uma boa resposta, achei ótimas perguntas! É isso que provoca um bom texto: um sorriso em um rosto cheio de interrogações!

Jane C. disse...

"E aí? Se o seu aniversário fosse hoje, qual seria seu balanço? E como você se sente sobre isso?"
Acho que eu não estaria 100% feliz comigo, pois há muitas coisas que eu queria ter feito e não fiz, por preguiça ou desorganização. Mas se levasse em consideração os últimos anos, e não só o último, estaria feliz,pois me vejo melhor a cada dia (talvez soe paradoxal,mas é isso mesmo,rsrs). O negócio e não parar,é evoluir sempre e crescer/amadurecer/envelhecer com sabedoria.
=)