20 de jan de 2012

Papos de Sexta especial: Meg Cabot

Promessa é dívida, galera! Aqui está a entrevista que prometemos com a Meg Cabot. Das quase 900 perguntas que recebemos - uau!!! - selecionamos 15 para a Meg responder. Confiram!



@nathaliadayse
Se você tivesse que escolher um dos seus livros para viver, qual seria?

Resposta: Definitivamente, eu gostaria de morar em Genóvia, como a princesa Mia de Os diários da princesa. O clima é sempre perfeito, em torno de 25 graus, e ela tem um namorado incrível. Mas eu não queria ser uma princesa, nem ter que lidar com alguém como Grandemere. 
Minha segunda opção acho que seria meu novo livro, Abandono, porque Isla Huesos, na Flórida, parece ser um lugar legal. O clima é bom (se não considerarmos os furacões e o Submundo sob a cidade). 
A terceira opção opção seria a série A Mediadora, porque Carmel, na Califórnia, parece linda. E ter que viver com Jesse, embora ele seja um fantasma, não seria tão ruim, acho.     

@Fabee_Lima
O que você carrega na sua bolsa?

Resposta: Sempre tenho gloss e rímel, porque você nunca sabe com quem pode encontrar ou quando poderá encontrar, tipo, o Johnny Depp; e a minha carteira, caso precise comprar algo para comer ou beber, porque estou SEMPRE com fome ou com sede (é verdade, podem perguntar para qualquer um que já esteve em book tour comigo); óculos, porque não vejo nada sem eles; e canetas e um bloquinho (caso eu tenha alguma boa ideia)! 

@ItsACarolina
Como é influenciar a vida de milhares de jovens e qual a sua maior responsabilidade com o público?

Resposta: Me sinto responsável por contar histórias de garotas que talvez não tenham se sentido sempre fortes, mas que ao longo do caminho podem descobrir poderes que nunca imaginaram ter. E isso porque acredito que todos estamos na Terra por um motivo e todos temos alguma coisa com a qual podemos contribuir - nossa missão é descobrir que motivo é esse!

@Pam_tastica
Já pensou em reescrever algum dos seus livros na visão dos meninos? Como, por exemplo, O Diário de Michael?

Resposta: Eu não decidiria escrever uma série do ponto de vista masculino (fosse Jesse, de A  Mediadora, Michael, de O diário da princesa, ou mesmo John Hayden, de Abandono, nem dos irmãos de Allie Finkle ou Alaric ou Lucien, de Insaciável), mas eu também não reescreveria um livro já terminado, porque para mim grande parte da diversão vem de descobrir, com os leitores, o que vai acontecer (embora enquanto a autora eu JÁ SAIBA o que vai acontecer - a verdade é que eu nem sempre sei e isso é o que faz escrever ser tão divertido!
  
@laibrisa
Qual a lembrança mais engraçada que você levou do Brasil?

Resposta: Não sei se foi a mais engraçada, mas uma das melhores coisas depois de visitar o Brasil foi ter conhecido tantos leitores maravilhosos, como os que estão nesse vídeo

@autumnoir
Já pensou em escrever um livro com a Henrietta como personagem principal?

Resposta: Ah, que fofo! Ótima pergunta. Sinceramente, de jeito nenhum, porque seria um livro muito chato sobre um gato de vinte anos que dorme o dia todo, depois acorda sua dona MUITO cedo de manhã, implorando por comida - ainda que seu potinho esteja cheio. Henrietta já me tem em sua patinha. Ela não precisa de mais nenhuma atenção!

@garotait
Em uma série, a opinião dos fãs pode interferir no rumo dos personagens na hora de escrever?

Resposta: Bem, sim e não. Se for um personagem cuja história não fosse crucial para o desenvolvimento que imagino para a série, eu mudaria se pedissem (o título original do segundo volume de O diário da princesa era Princesa do vômito, mas me pediram para mudar. Então mudei! Quem se importa com títulos? Não são tão importantes assim). 
Mas se eu sentisse que fosse algo que iria mudar o desenvolvimento da trama ou a minha visão narrativa, não, eu não mudaria, independentemente do que dissessem (como, por exemplo, que a Mia terminasse com o JP e não com o Michael. Muitos leitores pediram por isso. Eles eram loucos? De jeito nenhum!)
Como escritora, às vezes é importante acreditar na sua visão, sem se importar com o que os outros dizem! Porque, sabe como é, no fim você terá razão.      

@JuanGlavenburgo
Qual dica você daria para jovens escritores? Eles deveriam escrever o que gostam ou seguir a moda?

Resposta: Não escreva pensando no mercado, porque quando o livro estiver pronto, qualquer que seja a moda no momento, talvez não seja mais tão popular assim quando o livro for publicado. Escreva sobre qualquer coisa que VOCÊ ame (ou odeie), porque sua paixão (tomara) fará com que outras pessoas se apaixonem por sua história também!

@AlanaGonzaga
Já pensou em escrever um livro no qual o cenário principal fosse o Rio de Janeiro?

Resposta: Na verdade, algumas cenas de Mordida, a continuação de Insaciável, são no Rio de Janeiro; e são flashbacks. Há um personagem brasileiro, um padre bem bonito chamado Padre Henrique. Ele vai a Nova York para combater um cruel inimigo que acordou, os Lamia, o clã mais temido entre todos os vampiros. Outra personagem, chamada Carolina, também é brasileira. Ela integra a Guarda Palatina, a unidade do vaticano que combate os vampiros!  

@segredoskferem
Todos gostamos de elogios, como você recebeu sua primeira crítica?

Resposta: Estudei em vários cursos de Redação Criativa, então me acostumei bastante a ouvir críticas, tanto de alunos quanto de professores e isso desde que era bem jovem. A primeira resenha profissional sobre um livro meu foi horrível, embora eu não soubesse... Meu editor me ligou e disse, Bem, você ganhou uma estrela
Eu gritei, Fantástico
Eu não sabia que era uma estrela de quatro. 
(Desde então essa mesma publicação já me deu quatro estrelas nas críticas de vários livros. Meu editor gosta de dizer que talvez as outras três estrelas tenham caído daquela primeira resenha).
Se você não conseguir evitar levar as críticas para o lado pessoal, então não há espaço para você na carreira de escritor. Só quando aprende a ser objetivo, você consegue perceber quais críticas vão realmente te ajudar e quais, lamento dizer, dizem mais sobre a pessoa que escreveu a crítica do que sobre o livro propriamente dito.    

@Frini_Georga
Alguns autores tem sido publicados de forma independente na Amazon/ Kindle. O que você pensa sobre isso? 

Resposta: Publicação independente significa você mesmo publicar, certo? Por que VOCÊ iria fazer isso se você tem uma boa ideia para ser compartilhada? Se aquela empresa gostou mesmo da sua ideia, deveriam estar pagando a VOCÊ. 
Publicação independente significa pagar uma empresa para editar, fazer o design, comercializar e divulgar o seu livro em vez de ter alguém pagando a VOCÊ por tudo isso (que é como funciona no mercado editorial).  
Sempre foi muito, muito difícil conseguir ser publicado. Como J.K. Rowling, eu recebi muitas cartas de rejeição de agentes e editores quando estava tentando começar. O diário da princesa foi rejeitado mais de vinte vezes!
E se eu tivesse desistido de ter aquele livro publicado depois de cinco ou dez vezes? E se eu tivesse pago por uma publicação independente? 
Eu não teria me tornado a número 1 no New York Times, não teria tido um filme do meu livro estrelado por Anne Hathaway ou Julie Andrews. Não estaria publicada em mais de 39 países, porque grande parte desses países nem vendem livros em e-book. Certamente ninguém no Brasil teria lido, porque um livro independente nunca chegaria aos meus editores brasileiros. Não teria sido traduzido para o português, assim como nenhum dos meus outros livros, porque eu nunca teria ganhado dinheiro suficiente de uma publicação independente para largar meu emprego e escrever esses livros. Eu ainda estaria trabalhando de 9h às 17h, no Hayden Hall, o dormitório da New York University onde eu costumava trabalhar (assim como a Heather Wells). 
Eu certamente nunca teria sido convidada para ir ao Brasil conhecer vocês, porque não conheço nenhum autor independente de e-books que tenha sido convidado para participar da Bienal. 
Minha vida seria muito diferente hoje em dia se eu tivesse optado por uma publicação independente! E definitivamente não seria tão boa.    

@suelen_senalf
Se você fosse atingida por um raio e pudesse escolher um poder, qual seria?

Resposta: Eu escolheria poder me duplicar! Assim poderia fazer duas entrevistas como essa, por exemplo, e respeitaria meus deadlines (enfim)!
Sério agora, eu escolheria ter o poder que John Hayden tem em Abandono. Ele pisca e aparece em qualquer lugar que quiser um segundo depois. Tráfego e filas antes da segurança dos aeroportos nunca mais! Isso seria incrível.  

@nathsemtweet
Você já pensou em escrever um livro no qual personagens de seus livros anteriores se encontrassem?

Resposta: Oh, uau. Não, mas isso seria divertido. E talvez um um pouco perigoso! Para ser sincera, adoraria que a Heather Wells conhecesse a Meena Harper. 

@mar1cia
Que conselhos Mia daria para Kate Middleton?

Resposta: Mia escreveu sobre o casamento real em seu blog, www.miathermopolis.com! Ela disse que, se fosse Kate, no dia do casamento estaria vomitando em um banheiro de tanto estresse. Mas Kate estava totalmente equilibrada e parecia completamente relaxada. Mia também diria a ela que se espelhasse na princesa Diana, a primeira integrante da família real a encostar em um paciente com AIDS (numa época em que todos pensavam que não era seguro fazer algo assim). Esse foi um gesto superimportante. A influência de Kate sobre a monarquia britânica - e sobre o mundo - pode ser igualmente poderosa. Ela deve usar isso com sabedoria.    

@iris_figueiredo
Se vc jantasse com suas protagonistas, qual sentaria ao seu lado e qual sentaria mais longe de você?

Resposta: Essa é fácil! Eu me sentaria perto de Mia, Susannah, Meena, Heather e Jessica Mastriani e todas as outras meninas (e seus namorados) e faria com que John Hayden, de Abandono, fosse o responsável pelo teletransporte caso alguém bebesse demais. 
E teria Alaric, de Insaciável, e Cooper, de Tamanho 42 não é gorda, encarregados da segurança (com a espada de Alaric e a atitude de Cooper) para ter certeza que Paul Slater, de A Mediadora, ficaria do lado de fora, com o lixo, e os vampiros, fantasmas perversos e garotas populares cruéis.
E todos vocês estão convidados! E poderão se sentar conosco, a não ser que queiram ficar do lado de fora com o Paul...  


25 comentários:

Larissa Tavares de Freitas disse...

Adorei a entrevista! Sempre rio demais com as entrevistas da Meg. ♥

Dandra disse...

Meg super espirituosa nas suas respostas. Adorei o que ela disse sobre publicação independente. Faz todo o sentido.

Pah disse...

Muito boa a entrevista, o pessoal foi bem criativo com as perguntas, parabéns!

A Meg realmente é uma ótima escritora!

Susi disse...

A Meg é sensacional... Ela responde tudo com clareza e criatividade!

Vivi Lemes disse...

ameeeei! amei as perguntas e amei as respostas!! =DD adoro esta autora!

VOLLZIN disse...

Adorei a entrevista. A Meg é sempre divertida. Confesso não ter lido nada dela, mas me interessei por Abandono desde o seu lançamento nos EUA, espero lê-lo agora que ele sairá no Brasil.

Abraços,
Maicon Z. Vollzin - The Vollzin Post

Suelen Sena disse...

Entrevista maravilhosa. Meg sempre Diva!! Várias dúvidas foram respondidas. E algumas respostas foram hilárias..hahah...Meg é uma fofa!!
Feliz que minha pergunta foi uma das selecionadas.Tanks :)

Ps: Fiquei MUITO curiosa com a sequência de Insaciável.

Suelen Sena
www.leitoramanauara.com.br

Adriana Ferreira disse...

Isso que é uma SUPER ENTREVISTA! Não sei se ficaria com o Paul do lado de fora, afinal ele é muito gato :), mas acho que prefiro a companhia do Jesse, do Alaric e do Lucian :)
E quer dizer que Overbite vai se chamar Mordida? Vamos ter que esperar 5 meses pra ler :[
Bem que a Meg poderia vir ao Brasil na bienal de São Paulo em agosto, seria DE-MAIS :D

Anônimo disse...

Amei!!! Não só pela Meg ser incrível e pela minha pergunta ter sido uma das escolhidas (obrigada!!!), mas por todas as outras. A ideia da entrevista feita assim foi muito bacana! Parabéns Galera!

beijos
Frini

Vicky-não-sei-das-quantas disse...

Muito bom! Ótimas perguntas *-*

Leilane disse...

Ainda bem que a @nathsemtweet fez uma pergunta muito parecida/com o mesma intuito que a minha, porque a Meg se empolgou com a ideia! Quem sabe um dia ela não escreve pelo menos uma short story na qual a Heather e a Meena se conhecessem, como ela mesmo falou, seria muito legal! Um presente especial para os fãs.
As perguntas foram ótimas e as respostas melhor ainda! Ainda bem que a Meg tirou um tempinho para responder as perguntas dos fãs brasileiros.
Obrigada Galera Record!

Anônimo disse...

Eu não me incomodaria de ficar do lado de fora com o Paul. Certamente que não... kkkk

No mais, adorei as perguntas das meninas! Todas muito criativas, nunca pensaria nessas questões! =)

Thaline disse...

Noossa, que entrevista incrível!!!
Amei, amei amei *--*
A Meg é mais do que diva!!! :)
Sério que a continuação de Insaciável se chamará Mordida? Não sei se gostei muito =/
Obrigada pela entrevista Galera :)

Nine disse...

Fofa para sempre! :D :D

Vivi Maurey disse...

LINDA a entrevista! Amei as perguntas escolhidas e as respostas! Muito... iluminador, rs. =)

Bjocas!
Vivi

Dasty-Sama disse...

AMEI A ENTREVISTA! Sério, adorei todas as repostas da diva Meg ♥

Pâm Gonçalves disse...

Devo confessar que fiquei muito tentada a ficar do lado de fora com o Paul. Afinal, se tivesse outras criaturas, ele me protegeria. e... ok, parei

AMEI a entrevista, e obrigada por escolherem um das minhas perguntas <3

Lenize disse...

Owwwn cara , ela é muito fofa, simpática , divertida ! *---*
Espero que ela volte para alguma Bienal de São Paulo ou qualquer outro evento aqui , pois com certeza eu iria ! Adoro a Meg ♥

Eu acredito disse...

Nas promoções dessa editora as colunistas e parceiras sempre ganham. Interessante nao?

Márcia Paiva. disse...

Ai que legal a minha pergunta foi selecionada rs. Adorei a resposta da Meg. As perguntas realmente foram inteligentes. Ai galera foi uma MEG, entrevista mesmo. Vamos esperar por outras mais. ♥ Beijos ♥ @segredoskferem

Loucos Por Livros! disse...

A melhor escritora desse mundo! Gostei de saber com quem ela jantaria, a opinião sobre livros indepedentes, sobre livros com personagens masculinos... A Meg é muito fofa e merece todo o sucesso que conquistou até hoje. :) Viva a diva Cabot! Foi muito bom saber mais sobre o que a Meg pensa. :)
Adorei as perguntas e a entrevista!
Beijos ;*

Ana Carolina
http://loucospor-livros.blogspot.com

Galera disse...

Quem teve a pergunta escolhida, não ganhou nada. Só teve a pergunta publicada. Quem fez as melhores perguntas, foi selecionado. Não teve favoritismo algum.

Juh** disse...

Amei a entrevista! Ótimas perguntas, bem boladas!
A Meg é uma simpatia!

Beijos
Livros e blablablá ;)

Fernanda Dottling disse...

Amei a entrevista . A Meg é realmente uma fofa !queria muito que ela viesse mais uma vez ao Brasil !

Raffafust disse...

Oi pessoal

Todo mundo sabe que eu sou Meganíaca!!! Nem preciso dizer que amei demais essa ideia dos leitores entrevistarem ela!
Pena que minha pergunta não foi escolhida :(

mas meus parabéns a todos que tiveram as perguntas respondidas por nossa Diva!

espero que tenhamos próximas edições com Cecily, Scott, Cassandra, Rachel ;)