4 de nov de 2011

Papos de sexta: Carpe Diem, por Frini Georgakopoulos

Gente, tô nostálgica. Acho que, com o fim de mais um ano chegando, olho para trás e sinto falta do que já passou. Quando lembro meu pai falando para mim “sua única responsabilidade é estudar!”, fico rindo sozinha. Na época, achava um absurdo, afinal, eram várias matérias e tirar nota alta em todas não é nada fácil! Mas hoje, quando coloco na balança as “responsabilidades” que tinha em meus anos de escola e as que tenho hoje, ... nossa, que saudade daquele tempo!

Quando somos adolescentes, tudo na nossa vida é sentido com o dobro de intensidade. Quando nos apaixonamos, achamos ser para sempre; quando temos nosso coração quebrado, pensamos que vamos morrer; quando conquistamos algo, nos sentimos donos do universo. E é por tudo isso e muito mais que eu amo ler YA (sigla americana para literatura Young Adult, ou “jovem adulta”). A cada história, lembro da minha e sinto uma saudade tão grande das festas organizadas em plays ou na discoteca da modinha, das fofocas com as amigas no shopping, do frio da barriga quando o gatinho é avistado na festa (e na vida real, geralmente, não são dois gatinhos que te amam. Você tem olhos apenas para um de cada vez. E ele é difícil de ser conquistado!) e de tanta coisa que é impossível listar.

A vida é repleta de possibilidade quando se é adolescente e a maior tristeza é pensar que, quando se tem 16 anos, não pensamos nisso. Quando era adolescente, tudo que queria fazer era crescer. Hoje, crescida, do que sinto mais falta é dos meus 17 anos. Curti hor-ro-res minha adolescência e acho que é exatamente por isso que sinto uma mistura de tristeza e felicidade quando olho para o passado. Tem um dizer lindo - cuja autoria não me recordo - que diz algo do tipo “sempre soube que olhar para trás me faria sorrir, mas nunca pensei que esse sorriso me faria chorar”. Isso traduz exatamente o que quero dizer. Crescer é incrível, mas vale ainda mais quando se curte tudo no caminho. Imaginem Elena Gilbert velhinha, cheia de netos, e sem ter vivido as aventuras que viveu ao lado de Bonnie, Meredith e, é claro, Stefan e Damon Salvatore? Será que Suzannah seria uma pessoa completa se não tivesse lutado por seu amor, Jesse, e ajudado tanta gente, desse plano e do outro durante sua juventude?

Você quer ser uma pessoa feliz? Então curta o hoje, sempre, não importa se você tem 16, 30 ou 60 anos. Cada época da vida precisa ser vivida ao máximo e no seu tempo. Arrependimento é o câncer da alma. Se você está lendo essa coluna e é adolescente, curta horrores essa época! Ela é complicada, mas é tudo de bom! Se você já não é mais tão jovem, não deixe seu espírito envelhecer e dê um pé no bumbum do recalque! A gente amadurece, mas envelhecer é coisa de gente sem imaginação. E se você está lendo um post em um blog de uma editora, imaginação você tem de sobra. Carpe Diem, Carpe Noctem, Carpe TUDEM! :)

12 comentários:

Márcia Paiva. disse...

A adolescência é uma das melhores fases da vida. É a fase das descobertas e incerteza. Por isso tem de ser curtida com muita responsabilidade. Adolescente por ser curioso as vezes faz coisas sem medir as consequência.
Por isso meninos e meninas, curtam, mas com responsabilidade! Assim quando estiver em outra fase da vida poderá olhar para trás e lembrar com saudade, e porque não usar as mesmas essas palavras: “sempre soube que olhar para trás me faria sorrir, mas nunca pensei que esse sorriso me faria chorar”
Minha juventude foi o máximo, sempre recordo com carinho e muitas saudades. Belo post. Beijos

Camila Tomaz disse...

Lindo texto. Você descreveu exatamente o que sinto. Ontem mesmo estava pensando na minha adolescencia e chegue a concussão que não me arrependo de nada que fiz, mas que deveria ter feito muito mais coisas naquela época. Hoje em dia tento conciliar uma vida adulta com uma mente adolescente e realmente não é nada fácil. As vezes a unica coisa que tenho é o colo de minha mãe e o abraço de amigos que hoje já não têm tempo para isso.

Vivi Maurey disse...

AMO DE PAIXÃO a sua coluna. ;)

Raffafust disse...

Frini, sua linda!

Vc sempre me inspira! me sinto eterna teenager as vezes e me sinto feliz assim...mas lógico que o tempo passa,aliás ele voa...e com ele vem as grandes responsabilidades...e tudo tem msm seu tempo! eu tento aproveitar cada segundinho e não olhar para trás!
Amei seu texto só para variar!

bjos

TeamB disse...

Hahaha, que liiiiiindo! Morri, meus 15 anos serão mais que aproveitados, certeza ;)
Beijos, sua linda!
Jups | Booksworld.co.cc

Evellyn disse...

AH Frinni...
Minha mãe me falava exatamente isso! e embora eu ainda me sinta jovem, terminei o ensino médio ha 4 anos... Bons tempos...
O que vc escreveu é lindo e eu concordo mt... Sabe, nunca gostei de me arrepender de algo que fiz... Pelo menos eu fiz e na hora aquilo pareceu significar algo, mesmo que depois eu tenha pensado 'ah que droga, porque fiz aquilo?'

Eu acredito que não devemos 'chorar pelo leite derramado' É inutil, uma perda de tempo!

bjsss

Jane C. disse...

Frini,como sempre,esbanjando sabedoria!
Eu tive uma adolescência legalzinha,mas não aproveitei tanto quanto poderia,em parte porque não queria crescer,em parte porque me cobrava responsabilidades que talvez eu não precisasse ter naquele momento.Ô loco! Por isso,concordo com o que você escreveu:devemos aproveitar o AGORA,não importa a idade!O lance é viver e amadurecer,sem deixar-se envelhecer!
Bjs!

@gabsplace disse...

Concordo com tudo :)
Tenho um amigo que completou 50 anos recentemente e apesar de eu ter menos da metade da idade dele, o considero muitas vezes, mais jovem do que eu em vários sentidos,rs.
Ele uma vez me disse que a velhice é somente um estado de espírito, e eu estou começando a concordar com isso.
Bjs,
Gabi.

Débora Renata Cavalcanti disse...

Carpe Tudem mesmoooooooo \o/

ALINE T.K.M. disse...

ADOREI! E concordo com cada palavra! Eu geralmente me pego tendo pensamentos nostálgicos, uma vontadezinha que bate de voltar alguns aninhos na minha vida hehehe.

Bjs!!

Wesley Zanetti disse...

Frini, realmente este texto expressa a linha do tempo da vida no seu mais importante recado: viva intensamente tudo hoje, isto é, não de brecha para o arrependimento. Viva o melhor da vida sempre.

Loucos Por Livros! disse...

Eu tenho saudades da minha infância e só. Mas principalmente os momentos que eu tive com minha família e que quas enão lembro. :9 As coisas passam cada ve mais rápido e me assuto com isso. Mas como você disse, aproveite o máixmo que puder! Faço isso toda semana, sendo falando com amigas(os) e indo nos eventos literáios, o que me faz muito feliz. Mês que vem é o Natal e estou louca para essa data chegar. Não sei o que aconteçerá ano que vem, só sei que estarei na faculdade e realizando meu sonho na carreira da saúde. :)
Amei sua coluna, diva! Sempre inovadora e ótima!
Beijos ;*

Ana Carolina
http://loucospor-livros.blogspot.com