26 de ago de 2011

Papos de sexta: Livros Young-Adult: Qual a próxima onda? por Pâmela Gonçalves


Vocês lembram que há uns 6 ou 7 anos esse universo dos livros Young Adult não era tão explorado? Aqui no Brasil quase não tínhamos noção de quão amplo isso poderia ser. O mercado literário para jovens se movia ao redor dos chick-lits teen e a fórmula era: ambiente escolar + grande drama envolvendo relacionamentos na adolescência e tcharam... é isso que tem pra hoje. Não que eu esteja contestando a qualidade, há vários autores que conseguiram fazer grandes obras utilizando o mesmo esquema e inovando aos poucos.

Quando chegou a onda dos vampiros foi aquele BOOM! Pipocaram livros com os sanguessugas de diversos lugares. E olha que eles já eram criaturas bem antigas (olha o trocadilho!) da literatura. O que fizeram de diferente então? Colocaram o sobrenatural no antigo esquema: ambiente escolar + drama envolvendo relacionamentos na adolescência + vampiros = sucesso! Depois dos vampiros vários outros seres sobrenaturais vieram a tona. Não com tanta força, mas de tempos em tempos cada uma se sobressai um pouco. Anjos, zumbis, fantasmas, lobisomens e fadas estão por toda a parte.

Aos poucos os autores Young Adult vêm notando que não adianta sempre escrever a mesma coisa, é um risco alto, e é agora que percebemos o quanto essa categoria já cresceu e evoluiu!

Os livros estão trazendo reflexões sérias. Começou no sobrenatural, mas veio ainda mais forte com os livros distópicos. Essa é onda do momento! Onda essa que eu estou amando! Mas infelizmente parece que a evolução dos livros YA não mudou a mentalidade de muitas pessoas que ainda acham que isso não é literatura.

Livros para jovens e outra grande parte da literatura atual, que tem um público e uma linguagem mais descontraída, são alvos de muito preconceito. O problema é que quem olha de nariz torto para os nossos queridinhos mal conhece o que estamos lendo! Já cansei de falar que esse tipo de livro é a porta de entrada para diversos leitores. Outros, mais tarde, se aventuram em clássicos e diversos outros gêneros. Eu por enquanto pouco saio da linha, hehehe. Não adianta, vou ser uma velhinha lendo YA para mim e para os netos.

Agora vem a questão, se hoje a onda do momento são os livros distópicos, qual será a próxima? Será que ainda vamos ter uma febre de algum estilo específico, ou a partir de agora só se destacam os muito bons de casa estilo?

6 comentários:

Dudiinha disse...

Olá, Pâm...
como sempre arrasando, e a verdade é que apesar das ondinhas e modinhas que surgem, há livros incríveis (como mencionou). O pior nisso tudo é a preguiça das pessoas tem de ler e ficar falando mal do que não conhece, uma coisa é valida pra tudo. Não importa se é YA ou um conto de terror, só se fala algo quando se conhece e por experiencia é sempre bom dá uma chance, mesmo que no final você deteste. Até por que a receita para dá certo nem sempre tá no obvio ou no ocasional, está na técnica de quem escreve e no momento de quem ta lendo. Só espero que continue assim, coisas boas aparecendo por que só quem acha ruim é meu bolso kk'
Beijos
@Dudiinhafs

Débora Lauton disse...

Boa reflexão Pam... acho que a nossa vida é movida pelas "modas", isso vai desde a nossa alimentação, roupas, brincadeiras e porque não a nossa leitura??
Eu também gosto mais das distopias do que do ambiente escolar... mas o mais importante é que a cada leitura, vamos ficando mais críticos e aprendendo a discernir melhor aquilo que nos agrada daquilo que nos faz torcer o nariz...
Quanto ao preconceito, temos isso em TODOS os gêneros literários... pseudos cultos que se acham no direito de julgar... quando não há nada melhor do que a diversidade, né??
beijos,
Dé...

Pabline disse...

Acredito que novos estilos, ou estilos menos aproveitados hoje ainda iram se tornar um hit como é o caso do YA.
Amo o estilo YA e acredito que continuarei lendo por muito tempo, foram eles que me fizeram ingressar no mundo da leitura quando não era tão famoso assim, e hoje, graças ao YA não consigo viver sem um livro por perto. Hoje leio vários estilos e autores diferentes. E os clássicos Ingleses são um dos meus estilos favoritos hoje em dia... Mas YA ainda é um dos meus preferidos. XD
BJ!

http://amigasentrelivros.blogspot.com

ALINE T.K.M. disse...

Acho que as febres vêm e vão, como um ciclo natural, seja na literatura, na moda, na televisão/cinema, etc... Ok, tudo o que é demais às vezes torna-se cansativo, mas as febres fazem parte da cultura, da identificação/caracterização de um período de tempo. Acho que certamente haverão muitas febres ainda mas, como em tudo, os autores mais bem-sucedidos é que acabam se firmando e sobrevivendo ao fim da febre (o que nem sempre quer dizer que são os melhores autores).

Particularmente, gosto de livros YA, mas tem horas que eles me cansam um pouco, então tento variar de estilo, até p/ não "viciar" haha! Mas não dá p/ negar a importância do gênero, e que há muita coisa boa disponível, assim como coisas ruins também (como existe em qualquer outro gênero).
Além disso, acho MUITO legal a atenção que as editoras estão dando aos livros YA (claro que impulsionadas pela demanda, cada vez mais crescente). O que chama a atenção de uma forma bem positiva é que agora, mais do que nunca, o jovem conquistou um espaço dentro do mundo da literatura. Não importa a febre do momento (que, aliás, são totalmente "manipuláveis", passíveis de serem inventadas), se o jovem tem a atenção e o cuidado da parte da editora, o êxito vai existir e todo mundo sai ganhando de alguma forma.

Acho que escrevi um livro neste comment haha!! Mas o que quero dizer com td isso é simples: sou muito a favor dos livros YA!

Laila disse...

Ah, eu amo os distópicos e espero que eles não sumam tão cedo! *.*
Qto à próxima onda, não tenho a menor ideia!
Quem sabe livro no passado? rs mas duvido!

Natasha Costa disse...

Acredito que modas sempre irão existir. Sempre algo vai se sobressair mais em determinado momento, mas concordo você em um ponto importantíssimo... é um tipo de literatura que atrai muito mais o público jovem do que clássicos de literatura como Machado de Assis e João Cabral de Melo Neto, coisas as quais os adolescentes são obrigados a ler.

Acredito que para atrair mais leitores, deveria se incentivar mais esse tipo de literatura amena e mais próxima a realidade deles para que um dia quem sabe, eles se aventurem como você disse em outras coisas.

Boa discussão =) hehe mas admito ainda não me aventurei muito... meu ponto máximo foi ler O morro dos ventos uivantes (por vontade própria)!