17 de jun de 2011

Papos de sexta: Amor sem comprovante, por Vivi Maurey

Há muitos anos, eu achava que tinha problemas, era sensível demais para esse mundo ou simplesmente uma boboca que me importava com coisas que ninguém mais parecia sequer perceber. Eu chorava lendo livros... (ou melhor, choro, no presente!)

Mas na época eu não sabia de nada. Eu ainda não tinha sido apresentada à magia de ser fã, de fazer parte de alguma coisa, de compartilhar meus sentimentos por páginas, por histórias, por personagens e criaturas que não existem na vida real.

Ao longo dos anos você percebe – por mais dolorido que seja – que nem todo mundo entende o que se passa na sua cabeça, quando você simplesmente não pode ir dormir naquele momento, pois precisa saber o que vai acontecer naquele livro, ou que naquela noite o cinema não é mais atraente que o capítulo sete com a chegada daquele personagem bizarro... Pelas barbas de Merlin! Até beijar na boca às vezes não é tão apropriado quando tudo o que você quer é ler aquelas três últimas páginas!

Esse amor... amor de fã, amor incondicional por coisas que não existem fisicamente, não tem nota fiscal. Não tem comprovante. Ninguém sabe como você se sente de verdade... Ele é todo seu e é psicoticamente  incontrolável. É fácil demonstrar amor pelo namorado, por exemplo, quando você pode dar beijos, andar de mão dada e... bem, entre outras coisas. =)

Quando não existem formas de se explicar, a gente surta. Grita, corre, treme, inventa níveis de sons supersônicos... Afinal, convencer alguém de que seu amor de fã não é menor nem menos importante que coisas da vida real não é tarefa fácil para ninguém. A gente fica histérico mesmo...

Eu sou muito feliz por ter tido a oportunidade de fazer parte de um fandom. Ter a compreensão da nostalgia que isso causa, de saber que não estou sozinha quando um trailer de algum filme sai e não consigo parar de chorar e soluçar... que jamais estarei sozinha quando a notícia de que um personagem de um livro morre e que, por causa disso, uma depressão giga caia sob mim - de querer deitar na cama, no escuro, e dormir até não poder mais... 

É bom saber que existem outras pessoas que amam o inatingível, assim como eu amo.

Não preciso que o livro me ame de volta. A retribuição está onde os fãs se encontram. E encontrá-los foi a melhor coisa que já me aconteceu! 

Ps. Poderia escrever durante horas sobre a histeria de ser um fã... mas nem mesmo a internet com sua infinidade aguentaria o significado disso tudo! ;) Ser fã não é para leigos!
Obs. By the way, se quiser ver um exemplo de histeria é só entrar no meu twitter. lol

Au revoir!

20 comentários:

Lu disse...

ei Vivi, post mara.
Não troco um bom livro por nada e nem todos entende isso (minha mãe não entende mesmo, rsrs).
Tive muita sorte de conhecer várias pessoas loucas por livros como eu e mantenho uma amizade bem legal com elas que me entende bem.
rsrs.

p.s: A gente fica histérico mesmo... =D

Larys disse...

Falou TODO lol
as pessoas pensam que sou louca... quer dizer, trocar um bando de folhas com palavras inúteis por certos momentos... deixar de dormir por... bem, um livro.
Ninguém entende que esse tal livro definitivamente não é "um bando de folhas com palavras inúteis" é sim o meu momento único. aquele livro me proporciona uma infinidade de sentimentos de ninguém poderia demonstrar, explicar, ou até mesmo sentir com qualquer outra coisa. Aquele livro me leva a lugares onde ninguém poderia me levar. E é por isso que nem amenos penso uma única vez do quanto de dinheiro gasto com eles, porque não existe verdadeiramente uma quantia que pague esse sentimento.

αηδψϊηћα ஐβϊττψஐ disse...

Resumiu tudo...realmente encontrar essa galera mara que é tão fã qto eu, abriu um mundo.

Bjos =)
Andy_Mon Petit Poison

Anônimo disse...

"Não preciso que o livro me ame de volta. A retribuição está onde os fãs se encontram. E encontrá-los foi a melhor coisa que já me aconteceu!"

Amém, irmã!

Eu te conheci assim, no lançamento tímido de um livro que ambas amamos. Passamos várias poucas e boas por causa disso e de tantos outros que vieram depois e eu não trocaria isso por nada no mundo!

A coluna está incrível e é absurdamente apropriada em diversos níveis diferentes, Vivi.

beijos fandômicos,
Frini

Regiane disse...

Acho que a capacidade de você se entregar a um livro e viver intensamente aquela história como se fosse sua é uma benção, um prazer sem tamanho. Quando isso acontece num universo com o qual você se envolve tanto a ponto de virar fã, os sentimentos são potencializados de modo que só quem sente consegue entender.

Eu me considero uma pessoa feliz por saber que tenho isso na minha vida. E sinto um alento sem tamanho de saber que tenho meus "comfort books", aqueles que releio quando estou desanimada, deprimida ou desesperançosa por algum motivo. Os livros são meus companheiros inseparáveis desde que consegui ler o primeiro, e foram fiéis e estiveram sempre ao meu lado. Sou uma pessoa de sorte. ;)

Jéssica Polato disse...

Oi Vivi,

Você disse tudo. Acho que não conseguiria expressar de outra forma.

As pessoas, ainda, acham estranho como um livro muda uma pessoa. Acham estranho como nos importamos e não doamos ou emprestamos nossos livros tão amados.
O que ninguém entende mesmo é que eles fazem parte de nós. Do que somos e que queremos ser.

Eu também poderia ficar horas falando e falando, porque é tão bom falar do que gostamos.
Só posso dizer que concordo com você, e é bom saber que não estamos sozinhas..rs

Bjinhuxx

Jé Polato
Eu li e Divulgo

Laila disse...

Resumiu exatamente tudo o que eu sinto e sou! Parabéns pelo post! Encontrar pessoas iguais à mim foi incrível e só a internet me proporcionou isso!
De novo, parabéns pelo post!

BiahB - Garota Pai D'égua disse...

"É bom saber que existem outras pessoas que amam o inatingível, assim como eu amo."

Realmente é muito, muito bom!

Amei o texto! Obrigada por colocar o que nós fãs sentimos em palavras =D

Aline Carneiro disse...

O mais terrível de ser fã é ver alguém dizendo que aquilo que você ama não é importante e nem relevante. Só a gente sabe como é importante virar a última página e suspirar de saudade porque o livro acabou. :)

ALINE T.K.M. disse...

Esse post disse tudo! Toda vez que termino um livro que tenha achado MUITO especial eu sou surpreendida por aquele sentimento estranho, um vazio por dentro, uma tristeza inexplicável. E começo a pensar que nunca mais vou "ver" tal personagem, que eu quero saber "o depois" de toda aquela história, etc. Mas se me perguntarem se eu gostaria de não sentir tudo isso, eu responderia mil vezes "não"! Afinal a gente ama e "sofre", mas é de uma forma deliciosa!

Juliana Vicente disse...

Nossa Vivi. Fiquei muito emocionada, pois muitos dos momentos que você descreveu já vivenciei nesses muitos anos de leitura.

Tenho orgulho de amar os livros, de chorar, ria, amar, sofrer e tantos outros sentimentos que só eles são capazes de nos proporcionar.

Um super Beijo,

Juliana Vicente
http://asmeninasqueleemlivros.blogspot.com/

Vivi Maurey disse...

Puxa, que comentários fofos!!!!
Obrigaaaada, pipow!!
Bjão!

Vivoca

Martha disse...

Vivi, é complicado explicar para a família, principalmente, que é melhor ficar lendo um livro que participar daquele aniversário chato dos primos...e as vezes nem o marido aceita que os livros, o blog, o twitter são importantes e necessários para nossa fecilidade!
Quando as pessoas não compartilham, mas não te recriminam, é até possível aceitar a repulsa, mas quando ninguém te entende e nem percebe que isso que vc sente é importante, a convivência nem sempre é a que gostaríamos!!
Amei seu post!!

Evellyn disse...

Haha adorei Vivi...
tão bom mesmo encontrar gente 'louca' como a gente!
Nem todo mundo compreende, as vezes os proprios amigos...
Mas sempre terá quem sabe o que é

bjos
Hey Evellyn

Tathy disse...

É tão bom ler algo assim e saber que tem alguém tão parecido com a gente, que não estamos sozinhos <3

Loucos Por Livros! disse...

Eu vivo no mundo dos fãs. Quem me conhece bem sabe que quando eu me apaixono por uma coisa, eu fico viciada e não consigo parar de pensar naquilo. Agora eu sou fã dos livros, dos personagens presnetes em cada leitura. Em quesito de série de TV, eu sou a fanática que precisa ter tudo sobre o assunto! Ser fã é tudo de bom! E eu me orgulho de ser uma e se eu pudesse viver só disso, acharia maravilhoso. E Vivi, amei a parte que o livro não precisa de amar de volta. Aliás, para mim o melhor namorado são os personagens masculinos dos livros e os personagens das minahs séries preferidas. :)
Amei o texto!
Beijos ;*

Ana Carolina
http://loucospor-livros.blogspot.com

Felipe Fagundes disse...

Acho que eu só senti essa relação forte de fã com a série Deixados para Trás. E tive que ser muito forte porque é uma série de ação/aventura com 13 livros. No final da história, só um (isso mesmo, só 1) personagem do primeiro livro estava vivo no último. Chorei em cada morte! :S

As vezes eu até acho que os personagens podem me escutar e até são meus amigos! É bom demais torcer por eles rs

personaldeath disse...

Essa frase falou TUDO! *___*

"Afinal, convencer alguém de que seu amor de fã não é menor nem menos importante que coisas da vida real não é tarefa fácil para ninguém. "

E eu me surpreendo a cada leitura... estou lendo um livro atualmente sobre o apocalipse zumbi... e NUNCA imaginei que fosse chorar lendo um livro desse gênero {talvez porque tudo que eu já tinha lido/visto do gênero mostrasse as pessoas como meio 'disgusting' hehehe} - e me surpreendi tendo de "fechar" o livro, parando de ler exatamente no mesmo momento em que o personagem "pára de escrever" porque viu uma cena hedionda! O.O Porque comecei a chorar! É, a literatura tem esse dom fantástico que muitos filmes nem chegam perto tentando reproduzir XD É muito lovely ter fandom de livros tão grandes atualmente XD

Dana Silva disse...

Nossa Vivi, me identifiquei com tudo que vc falou, ja passei por muito disso aí... até taxada de doida, sem noção, eu fui! aff... as pessoas nao entendem! É mesmo muito reconfortante saber que nao estamos sozinhas!
Parabens pelo post, ficou lindo demaisss! bjos

Dana
http://www.feedyourhead.com.br/

Livros minha Terapia disse...

Vivi,
É claro que como fã e amante incondicional dos livros. Estou eu aqui chorando e pensando... “Sou normal e posso parar de ficar me importando com o que as pessoas e às vezes até a família, dizem sobre a aminha paixão pelos livros” Os livros me salvam, quando a da vida real está chataaaaa, me fazem crescer e entender muitas coisas que as pessoas não conseguem me explicar e o melhor de tudo.. sabem dividir , compartilhar com a maior cumplicidade que pode haver no mundo !!


Suas palavras significaram tantooo , esse é um mundo pelo qual não abriria mão de viver!! Afinal nós apaixonadas pelos livros vivemos um mundo paralelo ;)

Eu pertenço aos livros e eles pertencem a mim... Assim com a minha alma!!

Bjks
Fernanda Figueiredo