27 de set de 2010

Primeiros Leitores - Gone

Oi, gente!
Todo mundo ansioso para ler as resenhas de Gone? Esse livro é um dos favoritos da Galera e quem gosta de ação, suspense e ficção científica vai se amarrar (e também tem um romance para aliviar a tensão... hehe)!
Vamos saber o que nossas Primeiras Leitores acharam desse superlançamento da Galera?

“A história é diferente, tendo uma narração de terceira pessoa, mostrando vários personagens e detalhes que nos fazem entrar no enredo aonde tudo vai se encaixando, formando um complexo quebra cabeça. O livro é ótimo. Realmente me fez imaginar toda a situação, assim como me fez perceber o realismo dos acontecimentos através das ações dos personagens.” Anna Elisa Leal


“Uma história totalmente envolvente e de certa forma assustadora. Há momentos em que você fica com medo pelos próprios personagens e em outros simplesmente esquece que estamos lidando apenas com adolescentes e crianças. Só posso dizer que quem pensa que GONE é uma história infantil está totalmente enganado.
O autor, Michael Grant, escreveu a história de uma maneira que a leitura fosse leve e fácil ainda que ‘meio sombria’. Fazendo com que o final desse aquele velho gostinho de quero mais. Quem gosta do gênero ficção como eu, tem que ler esse livro. Vou esperar ansiosamente pela continuação." Jessica Malta


"Quando li a sinopse desse livro, achei sensacional. A premissa era realmente muito boa. E não me decepcionei. Gone te prende, faz você virar as páginas incansavelmente em busca de respostas e torcer pelas crianças que estão em situação desesperadora. E apesar de suas 500 páginas, ele não tem paradas de ritmo ou momentos tediosos. É recheado de tensão, suspense e da vontade de achar uma luz no fim do túnel, apesar de tudo. Se você gosta de ficção científica, distopias, sobrenatural e ação, o livro está recomendado" Fernanda Menegotto



Notaram, né? Gone é recomendadíssimo! Sem contar que essa capa LINDA foi escolhida pelos nossos leitores, lá no fórum do nosso site. O que você está esperando? Se cadastre e participe também!

Um beijo,
Giu

21 de set de 2010

Uma visita à "fantástica fábrica de livros" da Record.

Você imaginava que uma tiragem de 3 mil exemplares de um livro de cerca de 250 páginas poderia ser impressa em apenas... 50 minutos? Pois é, aqui na “fantástica fábrica de livros” do Grupo Editorial Record isso é possível! Tudo graças à Cameron, nossa poderosa máquina de impressão, que faz (quase) tudo sozinha.

Esta semana eu e os funcionários mais novos da empresa participamos de um tour pela gráfica, e resolvi fazer meu texto de estreia no blog para explicar um pouquinho para vocês - admiradores de um bom livro - como funciona o processo de impressão e como foi essa experiência sensacional (e muito gratificante para qualquer produtor editorial). As fotos são da Vivi Maurey, nossa ex-estagiária que anda fazendo muita falta por aqui.

Vamos lá!

Bom, passado o processo de edição do qual eu, Ana Paula, Ana Lima e Giu participamos (num futuro post podemos explicar passo a passo como funciona também), é gerado um arquivo digital do livro. Este arquivo será “fotografado” e transformado em um fotolito negativo. (Pense num negativo de fotografia, só que enorme – cada um tem cerca de 6 páginas de um livro.)

Esse fotolito é levado para uma máquina que espalha numa chapa uma camada de polímero laranja fluorescente (parece uma geleca e é gosmento, eu coloquei o dedo!). Então, a máquina aproxima o negativo dessa geleca (o polímero) e joga uma luz UV. O que acontece no processo? Lembre-se que no negativo, as letras são vazadas em um fundo preto. Bem, quando a luz passa pelas letras vazadas e atinge o polímero, ele endurece. Resultado: as letras e imagens ficam em alto-relevo como um carimbo, e agora será chamado de clichê! 

A seguir, outra máquina limpa o que restava da geleca que não endureceu, e o clichê fica limpinho. Então cada página é recortada, para ser arrumada em uma ordem de impressão que não é nada lógica para nós, mas sim para a máquina. Coloca-se uma fita dupla-face no clichê e as páginas são coladas num plástico gigante, nessa nova ordem, formando a cinta. Ela recebe uma tinta e “carimba” o papel.
Agora apresento-lhes a grande e majestosa CAMERON, A máquina. Ela foi trazida da Alemanha, e é uma das únicas aqui da América Latina. Ela não imprime colorido, porque a tinta que o carimbo recebe é uma só. Ou seja, capas e ilustrações coloridas são impressas em outra gráfica, pelo sistema offset, e trazidas para cá.

A capa, que chegou sem vinco, passa pela máquina que dobra orelhas, e recebe marcas de dobras também na lombada. Ela segue por uma esteira pra se unir ao miolo do livro.

O papel (vindo de uma bobina gigantesca) é carimbado de um lado, seca, e volta para ser carimbado do lado oposto. Depois de tudo impresso, é cortado por facas e vai para o alceamento, onde são feitas as dobra dos cadernos. Mais cortes e os cadernos já saem na ordem correta, graças àquela ordem louca dos clichês lá no início. O miolo já está pronto!

                             

Os miolos prontos vão para uma esteira que treme (!) para organizar as folhas e um braço mecânico agarra o miolo para retirar o ar entre as páginas. Seguindo na esteira, capa e miolo recebem cola, no aplicador de capas. O próximo passo são os cortes de acabamento, porque as margens são feitas maiores que a mancha (podemos dizer que o tamanho das folhas ultrapassa o da capa, pra depois serem cortadas direitinho).

A fornada sai quentinha da esteira e, já empilhadinhos, os livros vão para o estoque, depois para os caminhões, depois para as livrarias e então para a sua cabeceira.

O processo é bem mais detalhado do que isso, é claro. Eu resumir bastante, porque seria necessário escrever um livro para explicar exatamente como se faz... um livro. Mas nada mesmo como acompanhar tudo bem de pertinho! Se algum dia tiverem oportunidade, não deixem passar.
Você deve ter pensado também: “Nossa, mas são tantos cortes de papel, e se tudo anda em esteiras, é claro que deve ter uma perda enorme. Então o que eles fazem como tudo isso?” Ah, sim, todo o refugo do papel é coletado e vai para reciclagem.

Qualquer dúvida tentaremos responder!
Um beijo estalado na bochecha ou uma mordida no pescoço... fica à sua escolha!
Até a próxima,
Renatinha
Ps: Eu terminei de levantar a pilha de livros aqui ao lado, mas a Vivi não conseguiu registrar, uma pena.

1 de set de 2010

Chick Lit no Clube do Livro RJ de agosto!



As meninas do grupo @novasletras invadiram o Clube do Livro – RJ no último sábado de agosto.



O tema da vez foi Chick-Lit e as mulheres se divertiram falando de gatinhos, vilãs – pq sempre tem que ter uma vilã – e histórias de mulherzinha que a gente adora! =) Mas essa coisa de vilã é sério, viu?! Como disse a Frini ‘Sempre que tem duas mulheres na história, pode ter certeza que uma delas é má, vilã, não vale nada, é cheia de ódio e inveja, de preferência é a mais lindona e gostosa de todas e, além de tudo, é loura’. Tá, eu inventei algumas palavras, mas – basicamente – foi isso que ela disse, hehe.



Ah, vai! Isso só torna as coisas ainda mais divertidas. =)

Ouvimos as novas autoras; Fernanda França, Tammy Luciano, Leila Rego e Patrícia Barboza que nos contaram tudo sobre suas histórias, ideias, inspirações e motivações, como publicaram os livros e o papo rendeu bastante! O evento durou mais de 2 horas, com direito a sorteio dos livros das meninas e - é claro que a Galera não podia ficar de fora dessa -, sorteamos ‘Ela foi até o fim’, da Meg Cabot.



Como a Saraiva do Rio Sul tá em obras, o encontro foi na Saraiva do Botafogo Praia Shopping, e mesmo sendo um espaço menor do que o de costume deu tudo certo! Encheu bastante – o que é maravilhoso -, mas ninguém foi cuspido para fora da livraria.

Olha, a menina tem a bolsa de Fallen! Hihihihi!


Pq Fallen é amooooor!


Parabéns novamente à Frini, nossa querida mediadora de eventos, por mais um Clube do Livro de muito sucesso! :)



O próximo, no mês que vem, tem data marcada para dia 18 de setembro. Qualquer coisa, só ficarem ligados no Facebook da Galera!

E, obviamente, eu vou! Yay!

Bjocas,
Vivoca